Desceu o número de fumadores, mas há cada vez mais consumo arriscado de álcool

Entre 2014 e 2019, aumentou o número de pessoas que disseram ter consumido seis ou mais bebidas alcoólicas numa única ocasião ou evento.

alcoolismo,tabagismo,alcool,tabaco,saude,sociedade,
Foto
Em 2019, 17% da população com 15 ou mais anos era fumadora EPA

O número de fumadores baixou em Portugal entre 2014 e 2019, mas aumentou o consumo arriscado de bebidas alcoólicas, revela o Inquérito Nacional de Saúde divulgado esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística (INE).

Segundo os dados do INE, em 2019, 17% da população com 15 ou mais anos era fumadora, menos 3,0 pontos percentuais (p.p.) que em 2014, e 21,4% era ex-fumadora. A maioria, 61,1%, nunca tinha fumado.

Os resultados do Inquérito Nacional de Saúde (INS) 2019 mostram ainda que 1,3 milhões de pessoas (14,2%) fumavam diariamente e 248 mil faziam-no ocasionalmente (2,8%).

Cerca de metade dos fumadores regulares consumiam até dez cigarros por dia, mas no caso dos homens prevalecia o consumo diário de 11 a 20 cigarros (50,3%), refere o estudo realizado pelo INE com base numa amostra representativa de 22.191 alojamentos de todo o país.

Os dados referem ainda que “a percentagem de mulheres que referiram nunca ter fumado (75,3%) superava largamente a percentagem de homens na mesma condição (44,8%)”.

Um terço bebe álcool todos os dias

Relativamente ao consumo de bebidas alcoólicas, o inquérito revela que quase 30% da população consumia bebidas alcoólicas diariamente, apesar de se ter registado uma diminuição de 5 p.p. em relação a 2014.

Contudo, aumentou o número de pessoas que disseram ter consumido seis ou mais bebidas alcoólicas numa única ocasião ou evento (consumo arriscado) pelo menos uma vez nos 12 meses anteriores, totalizando 2,6 milhões, o correspondente a 42,8%.

“Este resultado reflecte um aumento de cerca de 9,6 p.p. relativamente a 2014 (33,2%) mais evidente nas mulheres (30,3% em 2019 e 18,1% em 2014)”, sublinha o inquérito.

Contudo, tal como em 2014, estes consumos têm maior expressão na população masculina, cerca de o dobro em 2019 (em 2014 era mais do triplo).

Os dados apontam que cerca de 6,2 milhões de pessoas (69,4%) com 15 ou mais anos referiram ter consumido bebidas alcoólicas nos 12 meses anteriores à entrevista, sendo que 1,8 milhões fizeram-no diariamente (29,6%), 1,9 milhões (31,4%) consumiram regularmente mas não todos os dias e 1,0 milhões (17,0%) apenas ocasionalmente.

“Comparativamente com os resultados de 2014, o consumo diário de bebidas alcoólicas diminuiu 5 p.p. (34,5% em 2014), tendência transversal a homens e mulheres mas mais evidente nos grupos etários mais elevados”, indica o INE.

Em 2019, o consumo diário foi mais frequente na população entre os 55 e os 74 anos (cerca de 34% da população daquelas idades).

Por sexo, 40,3% dos homens consumiram bebidas alcoólicas diariamente, enquanto mais de metade das mulheres fizeram-no com uma regularidade mensal ou só ocasionalmente.

O Inquérito Nacional de Saíde tem como objectivo principal “caracterizar a população residente com 15 ou mais anos em três grandes domínios: estado de saúde, cuidados de saúde e determinantes de saúde relacionadas com estilos de vida”.

Sugerir correcção