jim-jarmusch,leonard-cohen,cinema,culturaipsilon,festival-cannes,palestina,

O mundo como espelho da Palestina, pelos olhos de um clown: Elia Suleiman

Que paraíso é esse em que provavelmente se está? Ora, é o mundo global. O Paraíso, Provavelmente, nas salas a 2 de Julho, reclama o direito de um “cineasta palestiniano”, Elia Suleiman, a falar do mundo. E fala ao Ípsilon.

Dez anos depois da sua anterior longa-metragem, O Tempo que Resta (2009), o realizador palestiniano Elia Suleiman estreia, a 2 de Julho, um novo filme, O Paraíso, Provavelmente. A chave irónica, mas de um humor que está à beira de ser negro, é logo dada no título. Que paraíso é esse em que, provavelmente, se está?