Sandra Faria

“Um acto de loucura e de coragem muito grande” na reabertura do Maria Matos

Após uma longa espera, o Teatro Maria Matos, em Lisboa, reabre a 15 de Julho com o espectáculo Avenida Q, em cena até Novembro, acompanhado por concertos de Clã ou Salvador Sobral. Uma sala pensada para temporadas longas, com uma proposta nuclear e várias actividades complementares.

culturaipsilon,
Foto
Sandra FAria, directora do Força de Produção que tem a gestão do Maria Matos

Há quase dois anos, em Julho de 2018, a Força de Produção foi anunciada como vencedora provisória da consulta pública lançada pela EGEAC para a concessão da gestão do lisboeta Teatro Maria Matos a um privado, por um período de cinco anos, renováveis consoante a avaliação do projecto artístico desenvolvido. Seguiu-se, no entanto, uma longa espera determinada pela acção movida pela Yellow Star, numa tentativa judicial de impugnar os resultados. Só no início de Fevereiro, com a retirada da acção pela Yellow Star, o caminho ficou livre para a Força de Produção começar a concretizar o seu projecto, mas os planos de apresentação da programação a 27 de Março, Dia Mundial do Teatro, e abertura das portas em Abril viram-se entretanto boicotados pelas medidas restritivas decretadas pelo Governo em virtude da pandemia da covid-19.