mulheres,violencia-domestica,sociedade,ministerio-publico,crime,justica,
Fotogaleria
Gabriel Fialho Sousa
mulheres,violencia-domestica,sociedade,ministerio-publico,crime,justica,
Fotogaleria
Gabriel Fialho Sousa
mulheres,violencia-domestica,sociedade,ministerio-publico,crime,justica,
Fotogaleria
Gabriel Fialho Sousa
mulheres,violencia-domestica,sociedade,ministerio-publico,crime,justica,
Fotogaleria
Gabriel Fialho Sousa
Fotogaleria
Gabriel Fialho Sousa
Fotogaleria
Gabriel Fialho Sousa
Fotogaleria
Gabriel Fialho Sousa
Fotogaleria
Gabriel Fialho Sousa
Fotogaleria
Gabriel Fialho Sousa

Um professor de Direito Penal em julgamento queixa-se de “nazismo de género”

Professor de Direito Penal, Filipe cita autores gregos e acusa sistema de “feminismo totalitário”. Juíza chama-lhe “exmo. senhor professor”. Na Amadora, um motorista de TVDE ouve a magistrada dar-lhe um raspanete em voz alta. Entre Setembro e Março, o PÚBLICO assistiu a vários julgamentos de violência doméstica. Este é o segundo capítulo da série Violência Doméstica no Banco dos Réus.

A violência doméstica é um crime que atravessa estratos sociais, idades, profissões. Nem sempre tem contornos físicos e não acontece necessariamente em relações onde há coabitação. Uma das formas de exercer controlo é a perseguição, ou stalking, que a lei já configura como crime autónomo, mas que não raras vezes faz parte da violência doméstica.