quentin-tarantino,philip-roth,hollywood,televisao,cinema,culturaipsilon,
cortesia netflix

Ryan Murphy reescreveu Hollywood

A nova mini-série de sete episódios que Ryan Murphy e Ian Brennan co-criaram para a Netflix reescreve os anos 1940. E se... um filme protagonizado por uma actriz negra, escrita por um negro homossexual arrebatasse os Óscares em 1948? Um exercício de revisionismo histórico consequente? O crítico e historiador Mark Cousins guia-nos por esta(s) história(s).

E se, em 1947, tivesse estreado um biopic de Peg Entwistle, a actriz destroçada que se atirou do letreiro Hollywood em 1932? Mais: e se esse filme fosse protagonizado por uma mulher negra, fosse escrito por um homem negro homossexual e realizado por alguém de origem filipina e tivesse arrebatado os Óscares? É o ponto de partida de Hollywood, uma mini-série de sete episódios que se pode ver na Netflix.