Covid-19: Bienal de Arquitectura de Veneza adiada para 2021 e a de Arte para 2022

As novas datas para a exposição de arquitectura: de 22 de Maio a 21 de Novembro. Portugal estará representado pelo projecto In Conflict, do colectivo de arquitectos depA.

,Arte
Foto
Os arquitectos do atelier depA Adriano Miranda

Houve uma altura, no início de Março, em que a direcção das Bienais de Veneza ainda acreditou que seria possível realizar a 17.ª mostra de Arquitectura este ano, e agendaram-na mesmo para abrir a 29 de Agosto e decorrer até final de Novembro. Mas a pandemia da covid-19 falou mais alto, e a Biennale​ deste ano foi mesmo adiada para 2021, e a 59.ª Bienal de Arte irá realizar-se em 2022, anunciou a organização esta segunda-feira.

Com curadoria do libanês Hashim Sarkis, sob o tema Como vamos viver juntos?, a 17.ª Bienal de Arquitectura de Veneza “foi adiada para 2021, decorrendo entre 22 de Maio e 21 de Novembro”, de acordo com um comunicado divulgado no site oficial da Biennale. A organização refere ainda que, “consequentemente, a 59.ª Bienal de Arte, com curadoria de Cecilia Alemani, que deveria acontecer em 2021, é adiada para 2022”, e “terá a duração de sete meses: de 23 de Abril a 27 de Novembro.

“A decisão de adiar a Bienal de Arquitectura para Maio de 2021 é um reconhecimento de que é impossível avançar – dentro dos prazos estabelecidos – com a realização de uma exposição tão complexa e mundial, devido à persistência de uma série de dificuldades objectivas causadas pelos efeitos da emergência sanitária em curso”, explica ainda a organização.

A situação de pandemia que se vive actualmente em todo o mundo “prejudicou decisivamente a realização da exposição na sua totalidade, comprometendo a execução, transporte e presença de obras e, consequentemente, a qualidade da própria mostra”. “Assim, depois de consultar o curador, Hashim Sarkis, e tendo em consideração os problemas que os arquitectos convidados, os países participantes, as instituições e os eventos colaterais enfrentam, agradecendo a todos pelos esforços até ao momento, a Bienal decidiu adiar a data inaugural da Bienal de Arquitectura para 2021, estendendo a sua duração pelos habituais seis meses”, lê-se ainda no comunicado.

Descrita como “uma complexa exposição internacional, envolvendo arquitectos e instituições de mais de 60 países”, a Bienal de Arquitectura decorreria só em três meses, entre 29 de Agosto e 29 de Novembro.

Portugal estará presente na 17.ª edição da bienal com o projecto In Conflict, do colectivo de arquitectos depA, do Porto, e que pretende responder à pergunta colocada pelo curador sobre “Como vamos viver juntos?”.

O concurso para a escolha da representação portuguesa na 59.ª Bienal de Arte de Veneza, em 2021, deveria abrir em Junho, como prevê a Declaração Anual 2020 da Direcção-Geral das Artes, divulgada na semana passada. Segundo o documento, está prevista para o próximo mês a abertura “do Programa de Apoio a Projectos para a selecção, através de um concurso limitado, da Representação Oficial Portuguesa na Exposição Internacional de Arte – Bienal de Veneza de 2021”. Este concurso tem uma dotação de 250 mil euros, que serão atribuídos em dois anos, “com 200 mil euros respeitantes a 2020”.

Sugerir correcção