Coronavírus: Bienal de Arquitectura de Veneza adiada para Agosto

Portugal estará presente nesta 17.ª edição da bienal com o projecto In Conflict, do colectivo de arquitectos depA, do Porto, e que pretende responder à pergunta colocada pelo curador, Hashim Sarkis, sobre “Como vamos viver juntos?”.

Colectivo de arquitectos depA, do Porto
Foto
Colectivo de arquitectos depA, do Porto paulo pimenta

A inauguração da Bienal de Arquitectura de Veneza, prevista para Maio, foi adiada para Agosto, por causa da epidemia de Covid-19 em Itália, anunciou esta quarta-feira a organização, segundo a qual as novas datas foram estabelecidas na sequência das recentes medidas de prevenção em matéria de mobilidade de pessoas, por causa da propagação do novo coronavírus.

Descrita como “uma complexa exposição internacional, envolvendo arquitectos e instituições de mais de 60 países”, a Bienal de Arquitectura será, assim, encurtada três meses, passando a realizar-se de 29 de Agosto a 29 de Novembro, data inicialmente prevista para o encerramento.

Portugal estará presente nesta 17.ª edição da bienal com o projecto In Conflict, do colectivo de arquitectos depA, do Porto, que pretende responder à pergunta colocada pelo curador, Hashim Sarkis, sobre “Como vamos viver juntos?”.

Adiando a abertura por três meses, a organização recorda que a Bienal de Arquitectura será inaugurada praticamente dias antes do Festival de Cinema de Veneza, marcado para 2 de Setembro. “A Bienal oferecerá a Veneza e ao mundo, no final do Verão, um período de grande interesse cultural e apelo internacional”, refere.

O surto de Covid-19, detectado em Dezembro, na China, e que pode causar infecções respiratórias como pneumonia, provocou cerca de 3200 mortos e infectou mais de 93 mil pessoas em 78 países, incluindo cinco em Portugal. Das pessoas infectadas, cerca de 50 mil recuperaram. 

Em Itália, o Covid-19 já provocou mais de 2000 contágios e 79 mortes.

Há ainda registo de vítimas mortais no Irão, Coreia do Sul, Japão, França, Hong Kong, Taiwan, Austrália, Tailândia, Estados Unidos da América, Filipinas e Iraque. 

Um português tripulante de um navio de cruzeiros está hospitalizado no Japão com confirmação de infecção.

Em Portugal, a Direcção-Geral da Saúde confirmou cinco casos de infecção, dos quais quatro no Porto e um em Lisboa.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto de Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional e aumentou o risco para “muito elevado”.