União da dupla Marcelo/Costa provocou arrepios à direita

Há vozes, como a de Miguel Morgado, que apelam a uma candidatura que sirva quem não se revê na posição do Presidente nem em Ventura.

Foto
Marcelo Rebelo de Sousa e António Costa deixaram a imagem do "espírito de equipa" no final de uma visita à Autoeuropa Miguel Manso

O momento em que, nesta quarta-feira, António Costa abriu caminho à recandidatura de Marcelo Rebelo de Sousa e o Presidente respondeu com a ideia de manter “o espírito de equipa” agitou as águas à direita. Sobretudo naquela direita que não se revê em Marcelo nem em André Ventura no que diz respeito às presidenciais de 2021. Há quem apele a uma terceira via. E no CDS já é assumido o desagrado pelo “apoio” do Presidente ao Governo socialista.