Global Media anuncia segunda-feira layoff “parcial” e de “geometria variável”

O DN, o JN, O Jogo e a TSF são algumas das empresas que deverão entrar em layoff a partir de terça-feira, mas os detalhes finais ainda estão a ser fechados.

,Diário de Notícias
Foto
DR

O grupo Global Media, que detém os jornais Diário de Notícias, Jornal de Notícias, O Jogo e o Açoriano Oriental, e ainda a TSF, entre outras empresas de media, deverá anunciar na segunda-feira as diferentes modalidades de layoff que irá aplicar sendo que estas deverão iniciar-se na terça-feira. “As coisas não estão fechadas, ainda há vários cenários em cima da mesa e conversas a decorrer”, disse ao PÚBLICO Afonso Camões, administrador do grupo. “Esperamos anunciar alguma coisa na segunda-feira, mas nunca antes do final do dia, e só depois de encerrarmos as conversas com os trabalhadores e falarmos com os delegados sindicais e com o sindicato”. Para já, adianta apenas que não haverá layoff em algumas empresas do grupo, e que a sua eventual aplicação nas restantes obedecerá a uma “geometria variável”, sendo aplicado de forma diferente em cada uma delas.

Além d’O Jogo, do DN e da TSF, também o JN deverá entrar em layoff parcial no princípio da próxima semana, mas a percentagem de redução horária e correspondente perda salarial ainda não estarão definitivamente decididas, sendo apenas certo, soube o PÚBLICO, que não serão idênticas para todos os trabalhadores. O mesmo acontecerá no DN, onde os trabalhadores com salários mais altos terão reduções de horário laboral mais significativas, segundo noticiou o Observador.

Afonso Camões sublinha, no entanto, que as notícias que têm adiantado pormenores sobre as modalidades concretas de layoff a que o grupo irá recorrer nas várias empresas não correspondem necessariamente à verdade, porque houve apenas “orientações e conversas”, e ainda não foram tomadas decisões finais. Mas mesmo sendo provisórias, essas conversas já levaram, no DN, à demissão do director, Ferreira Fernandes, e da directora executiva Catarina Carvalho, com a subsequente nomeação, como director interino, de Leonídio Paulo Ferreira.

Ferreira Fernandes esclareceu que se tinha demitido porque fora informado de que a redacção do DN seria das mais atingidas com as medidas que o grupo está a preparar.  Segundo o Observador, alguns profissionais com remunerações mais altas chegarão a ver o seu horário de trabalho reduzido a metade.

Negociações de última hora

No JN, que produz também a Notícias Magazine e as revistas Evasões e JN História, entre outros produtos, ainda estarão em curso negociações de última hora, e que deverão prolongar-se no fim-de-semana, mas não é de excluir que o facto de a empresa ter tido resultados operacionais positivos em 2019, com um EBIDTA superior a quatro milhões de euros, possa vir a ter alguma influência nos cortes a aplicar.

N’O Jogo, como o PÚBLICO já noticiou, os trabalhadores sofrerão, em média, um corte salarial de 33% nos próximos três meses. E na TSF, ao contrário do que deverá acontecer no DN e no JN, todos os trabalhadores terão uma idêntica redução de horário de 25%, com uma quebra salarial na mesma proporção.

O PÚBLICO confirmou com a presidente do Sindicato dos Jornalistas, Sofia Branco, que até ao momento nenhuma empresa do grupo Global Media, incluindo o DN, comunicou oficialmente aos respectivos delegados sindicais, como a lei exige, que iria avançar com um layoff, mas essa diligência deverá ser cumprida na segunda-feira para todas as empresas que forem abrangidas pelo layoff

Sugerir correcção