Torne-se perito

PÚBLICO teve 45 milhões de visitas em Março

O PÚBLICO mantém, diariamente, o acompanhamento ao minuto da evolução noticiosa sobre a pandemia, a par de um site dedicado exclusivamente ao tema do novo coronavírus.

Característica do telefone
Foto
Nelson Garrido

O PÚBLICO online bateu todos os seus recordes de leitura digital em Março. Perto de 15 milhões de leitores leram os vários sites do jornal ao longo do último mês, gerando 45 milhões de visitas e um total de mais de 105 milhões de páginas vistas, segundo as estatísticas do Google Analytics, que mede o tráfego digital total, fora e dentro do país.

O crescimento do tráfego do PÚBLICO, na sequência da crise pandémica provocada pela covid-19, teve origem na melhoria dos resultados nos motores de busca, redes sociais e distribuição noticiosa em geral. O download da aplicação do jornal obteve igualmente os melhores resultados de sempre. Do ponto de vista etário, foi na faixa dos 18 aos 24 anos onde o aumento foi mais notório, segmento onde o PÚBLICO foi pioneiro ao lançar o site P3 em 2011.

Desde que surgiu esta crise que o PÚBLICO mantém, diariamente, o acompanhamento ao minuto da evolução noticiosa sobre a pandemia, a par de um site dedicado exclusivamente ao tema do novo coronavírus.  Além disso, fazemos parte de uma parceria com o Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto e o Instituto de Engenharia de Sistemas e estudar os comportamentos dos portugueses no decurso da covid-19, através do inquérito Diário de uma Epidemia

As vantagens

Aproveitando o facto de muitos leitores se encontrarem em casa, criámos novas rubricas, como Ficar em Casa, onde pode encontrar informação e sugestões para que a quarentena seja mais útil do que entediante. E para quando for preciso desligar, a homepage do site tem um botão (outros temas) que o remete para o noticiário que não está directamente relacionado com o assunto que já sabe qual é.

Os artigos considerados de informação útil sobre a covid-19 continuam abertos a todos os leitores do PÚBLICO, tal como anunciámos no início desta crise pandémica. O PÚBLICO foi também o primeiro jornal português a desactivar a paywall, que limitava o número de artigos que um dado leitor poderia ler, mas manteve e manterá os conteúdos mais distintivos reservados a assinantes.

O reconhecimento e notoriedade do PÚBLICO reflecte-se no crescimento acentuado do número de assinantes no mês anterior, que fez com que ultrapassasse as 26 mil assinaturas. Ser assinante do PÚBLICO tem vantagens. Não apenas porque o jornal lançou recentemente o Clube P, que permite vários descontos a quem é assinante, mas sobretudo porque a melhor vacina é a boa informação. E é quando mais precisam dela que os leitores procuram o PÚBLICO: levamos-lhe o jornal a casa, só no Porto e Lisboa, para já, por razões logísticas, e estamos aqui sempre consigo em publico.pt. A Verdade faz-nos mais fortes: veja aqui porquê. 

Sugerir correcção