Coronavírus: Bairrada quer produzir gel desinfectante a partir de aguardente vínica

O objectivo é minimizar a dificuldade de acesso ao gel desinfectante por parte da população. Além da escassez na oferta, os preços dispararam.

Foto
A ideia chega depois de cervejarias também já terem anunciado a conversão Anna Costa

Farmacêuticos, profissionais de saúde e vitivinicultores juntaram-se na Bairrada para produzir gel desinfectante utilizado no combate à pandemia de covid-19 a partir de aguardente vínica e outros produtos alcoólicos, disse à agência Lusa um elemento deste projecto.

“O objectivo é minimizar a dificuldade de acesso [ao gel desinfectante] por parte da população não ligada aos serviços de saúde. Já escasseiam as soluções e a Bairrada, com forte tradição na produção de derivados vinícolas, estaria disposta a ceder a matéria-prima para posterior destilação”, revela a farmacêutica Mafalda Melo.

Responsável por uma farmácia na Mealhada, Mafalda Melo relata que o projecto nasceu de conversas com profissionais de saúde ligados à Unidade de Saúde Familiar local. “É uma ideia transversal a enfermeiros e farmacêuticos. A proximidade aos produtores é grande e eles questionam-nos sobre essa eventual possibilidade”, relata.

Um apelo lançado nas redes sociais pelo director da revista “A Lei do Vinho”, Miguel Ferreira, teve o efeito de juntar alguns produtores de vinhos na Bairrada e proprietários de destilarias em torno do projecto.

“A Unidade de Saúde da Mealhada contactou as farmácias locais no sentido de se criar uma equipa de trabalho para produzir álcool gel a partir de aguardente vínica. Para tal, necessitam com urgência de espaços de destilação, onde o produto possa ser produzido”, apelou Miguel Ferreira.

O enólogo Mário Sérgio Nuno foi o primeiro a disponibilizar as duas destilarias onde produz os seus vinhos, nomeadamente o espumante Quinta das Bágeiras.

Também Pedro Carvalho, proprietário de uma das maiores destilarias nacionais, a Levira, aderiu ao projecto, embora advertindo que há melhores produtos que aguardente vínica para transformar em gel desinfectante, sugerindo antes “vinhos “fracos” e aguardentes fracas” doados pelos produtores da Bairrada.

A destilaria Levira já tem experiência na área, tendo um acordo com a Super Bock para converter o álcool de produção de cerveja em gel desinfectante utilizado para fazer face à pandemia de covid-19. De acordo com um comunicado do grupo Super Bock, divulgado na semana passada, o gel desinfectante para as mãos será oferecido a três unidades hospitalares da região do Porto.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infectou mais de 324 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 14.300 morreram.

Depois de surgir na China, em Dezembro de 2019, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia. Em Portugal, há 14 mortes e 1600 infecções confirmadas.

Portugal encontra-se em estado de emergência desde a meia-noite de quinta-feira e até às 23h59 de 2 de Abril. Além disso, o Governo declarou na terça-feira o estado de calamidade pública para o concelho de Ovar.

Sugerir correcção