Passageiros oriundos de França em isolamento no aeroporto do Porto

O Comando Metropolitano da PSP do Porto confirmou também que foi solicitada apoio para delimitar um perímetro de segurança no Aeroporto Francisco Sá Carneiro devido a casos suspeitos de covid-19.

Foto
Voo chegou às 11h20 desta quinta-feira e pelo menos 21 passageiros foram encaminhados para uma sala de isolamento Andre Rodrigues

Mais de duas dezenas de passageiros de um voo proveniente de Orly, França, estão em isolamento no Aeroporto Sá Carneiro, no Porto, por suspeitas relacionadas com a covid-19, indicou esta quinta-feira o Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC).

“O que sabemos é que o voo chegou às 11h20 e pelo menos 21 passageiros foram encaminhados, de imediato, para uma sala de isolamento na aerogare mesmo antes de chegarem à zona de bagagem. Percebemos, entretanto, que o avião fez rotação, mas a menos que a desinfecção tenha sido muito rápida, não terá sido feita desinfecção”, descreveu à Lusa Fernando Simões, SINTAC.

A agência Lusa contactou a ANA - Aeroportos, mas até ao momento não obteve resposta. Já fonte do Comando Metropolitano da PSP do Porto confirmou que foi solicitada a esta força de segurança apoio para delimitar um perímetro de segurança no Aeroporto Francisco Sá Carneiro devido a casos suspeitos de covid-19.

Fernando Simões aproveitou para apelar a que venham a ser tomadas “medidas mais rigorosas e informadas”, criticando as empresas do sector de “deixarem os funcionários desinformados e à sua sorte sem lhes fornecer material de protecção, por exemplo”.

“Vimos pessoas ontem [quarta-feira] amontoadas como galinhas no aeroporto de Faro. Hoje esta situação no Porto. E as situações repetem-se por todo o país. Um aeroporto tanto é um ponto fulcral para a economia e o turismo, como é para contágio. As pessoas não respeitam as regras, colocam-se a si e aos funcionários em risco, e as empresas não informam de nada do que se está a passar. São necessárias medidas mais musculadas a nível geral e nacional”, defendeu o SINTAC.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, infectou mais de 220 mil pessoas em todo o mundo, das quais mais de 8900 morreram. Das pessoas infectadas, mais de 85.500 recuperaram da doença.

Em Portugal, a Direcção-Geral da Saúde (DGS) elevou o número de casos confirmados de infecção para 785, mais 143 do que na quarta-feira.

Sugerir correcção