Arquitectura

A história do azeite conta-se num museu com a Serra da Estrela à vista

João Morgado
Fotogaleria
João Morgado

O Museu do Azeite, em Bobadela, era um sonho do proprietário, António Dias, que tinha um espólio a traçar a produção de azeite, deste os Romanos até à contemporaneidade. “O conceito do espaço foi desenhado como uma metáfora, deveria ser uma imagem icónica que as pessoas facilmente reconhecessem”, começa por dizer o arquitecto responsável pelo projecto, Vasco Teixeira. Neste caso, a imagem era um ramo de oliveira. A Vasco Teixeira foi pedido que transmitisse “a história do azeite, através de salas que fossem desenhadas de forma cronológica”. A forma como o azeite estreita ao longo do processo de produção foi o mote para a zona central do museu, com a qual todas as salas comunicam, a terminar de forma afunilada e voltada para a Serra da Estrela.

O programa das salas foi distribuído ao arquitecto que, a partir daí, começou a imaginar a forma do museu: “um bocado como trabalhar ao contrário, adequar o programa a uma ideia pré-concebida”. O manancial de artefactos exigia determinado espaço de sala, mas "o terreno era finito, pelo que o edifício foi aumentado até ao máximo que se permitia".

O projecto começou a ser planeado em 2012, mas este só viria a ser inaugurado já completo em 2019. Inicialmente, a ideia era usar betão pigmentado na construção. Contudo, tal não foi considerado financeiramente viável e os planos alteraram-se: a estrutura dividiu-se entre edifícios somente de betão e outros de "uma construção tradicional de betão e tijolo". No espaço deste Museu do Azeite há ainda uma loja, um auditório e um restaurante.

João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
João Morgado
Sugerir correcção