Arquitectura

É um armazém de bicicletas simples e robusto — e fica em Águeda, claro

Ivo Tavares
Fotogaleria
Ivo Tavares

A irregularidade do terreno de três mil metros quadrados foi o principal desafio na construção do edifício industrial da Sociedade Comercial do Vouga, um armazém de peças de bicicletas em Águeda, claro — ou não fosse esta cidade conhecida a capital da bicicleta. Mas "esse constrangimento" acabou por ser determinante: obrigou o arquitecto Nuno Silva a usá-lo em seu favor, desmaterializando a forma do edifício, que nasceu como uma "estrutura muito simples". 

"É um armazém com um edifício de escritórios acoplado", descreve o arquitecto fundador do escritório nu.ma, em entrevista telefónica com o P3. "A estratégia foi separar fisicamente o que é zona de escritórios, da zona de exposição e de armazenamento", continua. Resultou um edifício com dois pisos, que se desenvolve principalmente no piso 0, estando o primeiro andar reservado para os escritórios.

"Tendo em conta que é um armazém, um projecto de carácter robusto", o arquitecto escolheu materiais que "ajudassem a criar" essa aparência, como se vê nestas imagens de Ivo Tavares. Escolheu a chapa ondulada de cor escura para o revestimento exterior e, no interior, uma estrutura crua, sem acabamentos. Também "pela possibilidade de flexibilidade do edifício". A entrada, revestida a caixilharia em vidro, assume a maior transparência do edifício. 

Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Ivo Tavares
Sugerir correcção