Benfica repudia mau comportamento dos adeptos em Guimarães

Clube responsabiliza forças de segurança pelos incidentes. Partida frente ao V.Guimarães foi interrompida por quatro vezes devido ao arremesso de engenhos pirotécnicos para o relvado e desacatos nas bancadas.

Foto
Adeptos "encarnados" deflagraram várias tochas LUSA/HUGO DELGADO

O Benfica repudiou, este domingo, o mau comportamento de alguns adeptos no Estádio D. Afonso Henriques na noite de sábado. Na partida frente ao V. Guimarães, a equipa de arbitragem foi obrigada a interromper o jogo por quatro vezes, devido ao arremesso de artefactos pirotécnicos para o relvado e desacatos na bancada.

“Condenamos claramente os adeptos afectos ao nosso clube envolvidos nesses arremessos, reafirmando o nosso empenho em que tais comportamentos sejam totalmente banidos, considerando que os mesmos só prejudicam o Sport Lisboa e Benfica e a atitude correcta dos milhares e milhares de simpatizantes do nosso clube que de forma incansável apoiam a nossa equipa em todas as deslocações”, escreve o clube da Luz.

A primeira interrupção aconteceu após o golo de Cervi. Foram deflagradas algumas tochas na bancada “encarnada”. Os adeptos vitorianos tentaram chegar aos rivais, com arremesso de cadeiras de parte a parte. A responsabilidade destes incidentes, aponta o Benfica, permanece junto das autoridades, pela sua ineficácia na identificação destes elementos problemáticos.

“Responsabilizamos as forças de segurança pela incapacidade de controlar tais comportamentos, quando têm todas as condições e meios para tal. Compete às forças de segurança identificar e punir esses elementos que estão a mais nos campos de futebol e que só prejudicam os próprios clubes, que se vêem penalizados e responsabilizados por comportamentos a que são totalmente alheios”, afirma o Benfica. O clube denuncia roubos e agressões aos adeptos “encarnados” antes da partida, realizados por grupos de indivíduos com a cara coberta. 

PÚBLICO -
Foto
Jogo teve de ser interrompido por quatro vezes HUGO DELGADO/LUSA

As “águias” aproveitam ainda para desmentir a ideia de que este arremesso de tochas seria deliberado. O dirigente vitoriano, Miguel Pinto Luz, disse após o final do encontro que as interrupções tinham beneficiado o Benfica, deixando a ideia de que este mau comportamento podia ter sido articulado com o clube. Argumento que o clube “lamenta”, bem como aquilo a que chamam a invenção de “existência de uma grande penalidade que teria ficado por marcar” a favor dos vimaranenses.