Variações, Fado Bicha e jornalista do PÚBLICO entre os premiados pela associação ILGA

Os troféus serão entregues numa cerimónia a realizar em 11 de Janeiro, em Lisboa, que assinalará simbolicamente os 10 anos sobre a aprovação parlamentar do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

"Variações" foi o filme português mais visto do ano
Foto
"Variações" foi o filme português mais visto do ano

O filme Variações, inspirado na vida do cantautor António Variações, e o projecto musical Fado Bicha são dois dos distinguidos em 2019 com os Prémios Arco-Íris, da associação ILGA Portugal, que esta sexta-feira divulgou os premiados.

A lista inclui também a jornalista Aline Flor, do PÚBLICO, “pelo trabalho de excelência” do último ano em peças jornalísticas que alertam para “o movimento anti-LGBTI europeu” e dando “também voz às histórias e vivências das pessoas LGBTI em novos formatos multimédia, como no podcast Do Género”.

Os troféus, criados pelo artista plástico André Tecedeiro, serão entregues aos premiados numa cerimónia a realizar em 11 de Janeiro, em Lisboa, que assinalará simbolicamente os 10 anos sobre a aprovação parlamentar do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

A lista de premiados inclui ainda a jornalista Joana Martins (RTP), também “pelo trabalho de excelência” do último ano em peças jornalísticas e pelo programa #SóQNão.

A Câmara Municipal de Almada e as juntas de freguesia de Campolide e da Misericórdia, em Lisboa, foram distinguidas “pelas acções e projectos em torno da visibilidade e inclusão das pessoas LGBTI”, nomeadamente através das campanhas “Tão Almada como Tu” e “Campolide é Igualdade”.

O humorista Diogo Faro é outro dos galardoados, “pela promoção da igualdade de género e da defesa das pessoas LGBTI, seja nos seus espectáculos ou colunas de opinião humorísticas, seja em acções de sensibilização junto de escolas e ambientes laborais”.

Foram ainda distinguidos o Grupo Desportivo Estoril Praia (campanha de visibilidade contra o preconceito e a discriminação que envolveu atletas e apoiantes) e o vocalista Alex D'Alva Teixeira, da banda D'Alva, “pelo seu coming-out público e de referência no combate aos estereótipos e à discriminação que ainda resistem nos contextos mais jovens, mas também dentro da indústria da música e do entretenimento”.

Os Prémios Arco-Íris são atribuídos anualmente pela ILGA Portugal - Intervenção Lésbica, Gay, Bissexual, Trans e Intersexo e visam distinguir pessoas ou entidades que se destacam pelo seu trabalho na “luta contra a discriminação em função da orientação sexual, da expressão e identidade de género e características sexuais” em Portugal.

Adicionalmente, o apresentador de televisão José Carlos Malato receberá um Prémio “ex-aequo” e o Setor de Humanização do Instituto de Apoio à Criança um Prémio Amplos.