Papa ofereceu a Belém uma relíquia da manjedoura de Jesus como presente de Natal

A relíquia terá mais de 2000 anos e terá sido levada para Roma no século VII. Agora, o Vaticano devolveu uma parte a Belém.

Patriarca Mateus de Alexandria
Fotogaleria
O pedaço de madeira da manjedoura de Jesus oferecido pelo Vaticano a Belém,O pedaço de madeira da manjedoura de Jesus oferecido pelo Vaticano a Belém AMMAR AWAD/Reuters,AMMAR AWAD/Reuters
Fotogaleria
AMMAR AWAD/Reuters
Fotogaleria
AMMAR AWAD/Reuters
Fotogaleria
O padre Francesco Patton com a relíquia ABED AL HASHLAMOUN/LUSA
Fotogaleria
Marchas e bandas na celebração da chegada da relíquia a Belém MUSSA ISSA QAWASMA/Reuters
Fotogaleria
MUSSA ISSA QAWASMA/Reuters

Um fragmento de madeira que alegadamente pertencia à manjedoura onde Jesus foi colocado após o seu nascimento chegou a Belém este sábado, como presente do Vaticano, dando início à época natalícia naquela cidade, considerada o lugar onde Jesus nasceu.

A peça de madeira, com apenas alguns centímetros de comprimento, estava guardada na Basílica de Santa Maria Maior, em Roma. Foi entregue, no início desta semana, ao guardião da Igreja de Belém, que afirmou que aquela oferta trazia “grande honra aos crentes e peregrinos da região”.

A origem de relíquias antigas é frequentemente questionada. Ainda assim, as relíquias são estimadas pelos fiéis cristãos, entre os quais muitos peregrinos que, todos os anos, se dirigem à Basílica da Natividade, em Belém, para visitar a gruta onde Maria terá dado à luz.

Segundo o custódio daquela que é a Terra Santa para a Igreja Católica, o padre Francesco Patton, a relíquia tem mais de 2000 anos e foi transportada para o Vaticano no século VII. Resguardada por uma estrutura de cor prata, a peça foi revelada ao público, na sexta-feira, no centro de peregrinação católico Notre Dame de Jerusalém. No sábado, a relíquia foi recebida com marchas e bandas na chegada a Belém. Depois foi guardada na Igreja de Santa Catarina, junto à Basílica da Natividade.

“Estamos orgulhosos de que parte da manjedoura esteja de volta a Belém porque sentimos que a alma de Deus está connosco mais do que nunca”, afirmou Chris Giacaman, de 53 anos, residente em Belém, junto à Basílica da Natividade.

Por outro lado, houve quem ficasse decepcionado. “É um pedaço pequeno, pensámos que seria um pedaço maior”, lamentou Sandy Shahin Hijazeen, de 32 anos. “Quando soubemos que a manjedoura iria voltar pensamos que seria a manjedoura completa, mas depois vimos a peça”.

Ao cair da noite, realizou-se a tradicional cerimónia de iluminação da árvore de Natal, altura em que centenas de pessoas se reuniram na Praça Manger para celebrar o início da época natalícia. Com uma estrela vermelha a brilhar no seu topo, a árvore gigante foi iluminada com centenas de lâmpadas brancas e douradas, ao mesmo tempo que o fogo-de-artifício iluminava o céu nocturno.

A cidade de Belém, na Palestina, é particularmente concorrida antes do dia de Natal, 25 de Dezembro, com turistas e peregrinos a reunirem-se na cidade bíblica. Os cristãos representam cerca de 1% da população palestina na Cisjordânia, na Faixa de Gaza e em Jerusalém Oriental.

Sugerir correcção