Unsplash
Foto
Unsplash

Megafone

Vamos ter conversas honestas sobre drogas?

O questionário Global Drug Survey está de volta, pelo oitavo ano consecutivo. Pretende construir um referencial de conhecimento que seja realista, credível e baseado nas experiências das pessoas que consomem drogas.

“Vamos ter conversas honestas sobre drogas?”: é este o mote do Global Drug Survey 2020 (GDS2020). Pelo oitavo ano consecutivo, o maior questionário sobre drogas do mundo está de volta e a Kosmicare é novamente a entidade parceira que apoia a tradução, divulgação e disseminação deste inquérito e dos seus resultados em Portugal.

Este questionário é anónimo e confidencial, está traduzido em 16 línguas diferentes e está a ser implementado em mais de 30 países com o objectivo de promover um conhecimento mais aprofundado que acolha a diversidade de padrões de consumo de drogas, motivações, benefícios e riscos associados a esses consumos. No entanto, não se esgota na produção de conhecimento. “O GDS acredita que a experiência e o conhecimento das pessoas que consomem álcool e outras drogas podem ser usados para informar e apoiar a criação de melhores políticas de drogas e a promoção de padrões de consumo de drogas que sejam mais seguros, independentemente do estatuto legal das substâncias.”

Porque é que precisamos de ter conversas honestas sobre drogas? Antes de mais importa clarificar que, quando nos referimos a drogas, referimo-nos ao amplo espectro de substâncias psicoactivas disponíveis para consumo humano, independentemente do seu estatuto legal. Nesse sentido, álcool, tabaco, canábis, MDMA, cocaína, LSD, entre muitas outras, são drogas com efeitos psicoactivos que alteram o nosso funcionamento físico e mental e apresentam um conjunto de benefícios e riscos associados ao seu consumo.

Apesar do consumo de drogas ser transversal, e de acompanhar o ser humano desde a sua ancestralidade, continuam a produzir-se e a reproduzir-se inúmeros mitos, crenças erróneas e discursos moralistas, que contaminam o acesso a informação objectiva e prejudicam a saúde das pessoas que as consomem. Nesse sentido, o GDS pretende construir um referencial de conhecimento que seja realista, credível e baseado nas experiências das pessoas que consomem drogas. Esse conhecimento pretende ser aplicado e é colocado à disposição das pessoas, através de relatórios, notícias, aplicações móveis (por exemplo, a app Drugs Meter) e outros recursos, para que todos possam gerir os seus consumos de forma mais informada. 

Porque é que se deve preencher o GDS? Quem já o preencheu sabe que é um questionário que leva o seu tempo a preencher, principalmente porque nos “obriga” a revisitar a nossa história enquanto consumidor/a de drogas. Por esse motivo, é mais do que um questionário, é uma reflexão sobre os nossos padrões de consumo, as nossas experiências com diversas drogas, a vivência de boas e más experiências, a forma como consumimos, quando, onde, com quem, em que quantidades, de que forma e porquê.

PÚBLICO -
Foto
O questionário Global Drug Survey é anónimo e confidencial DR

Por outro lado, todas as respostas e todas as experiências são válidas e fundamentais porque contribuem para desestigmatizar o uso de drogas. Por esse motivo preencher o GDS é também um acto de militância, pelo direito à informação precisa sobre drogas, mas também por permitir dar visibilidade ao consumo de drogas em toda a sua diversidade e transversalidade, contrariando mitos que contribuem para a diabolização de determinadas substâncias e seus/suas utilizadores/as. 

Tendo em conta a sua intenção de se manter a par das novas tendências de consumo de drogas e seus contextos, este ano, o GDS vai explorar, de forma mais aprofundada, novas áreas, nomeadamente: a relação entre álcool e arrependimento, de que forma é que as pessoas doseiam MDMA numa mesma ocasião, os usos de canábis medicinal e de CBD, o uso de substâncias psicadélicas para fins terapêuticos, como é que se podem criar ambientes de lazer nocturno mais seguros. 

É por todos estes motivos, que te convidamos a preencher o GDS. Entretanto, se quiseres ter conversas honestas sobre drogas, visita o espaço que a Kosmicare inaugurou recentemente em Lisboa.