São “histórias reais” o que o Porto/Post/Doc tem para nos contar

Festival portuense de cinemas do real presta especial atenção à produção nacional até dia 1 de Dezembro. Este sábado mostra-se Viveiro, vencedor do Doclisboa, e O Mestre da Escola do Porto, sobre o realizador Sério Fernandes; domingo visita-se o porto de Leixões com Renata Sancho

Fotogaleria
"Viveiro", de Pedro Filipe Marques, venceu a competição Nacional do Doclisboa dr
Fotogaleria
Marques filma o quotidiano de Dona São, de Dona Quina e do Sr. Cunha, os funcionários que são a espinha dorsal do clube de Arcozelo dr
Fotogaleria
dr

Na sala ao lado, é Leonard Cohen quem se faz ouvir, mas o primeiro fim-de-semana do Porto/Post/Doc — que arranca este sábado e se prolonga até dia 1 de Dezembro no Rivoli e no Passos Manuel — faz-se, em grande parte, sob o signo das “histórias reais” que o festival tem, de um modo ou de outro, procurado incentivar. Uma vontade de contar histórias sobretudo do Porto, mas também de Portugal que, nesta sexta edição, se manifesta em filmes que esbarram na indecisão, na incerteza, talvez mesmo na inépcia.