Entrevista

Simpósio Resistências: “Para muita gente hoje é difícil simplesmente sobreviver”, diz Juan Branco

Cinco filmes de corpos que resistem: Joker, os novos de Ken Loach e Costa-Gavras, a sessão especial de Marighella e Fome, de Steve McQueen. O ciclo do Leffest completa-se com debates com convidados dos Coletes Amarelos de França ou do Extinction Rebellion do mundo, sindicalistas e activistas. A curadoria é de Juan Branco e a entrada é radicalmente livre.

Juan Branco tem 30 anos com vista para um mundo que as lentes da justiça social revelam ser desigual. É assim que o advogado e conselheiro do Wikileaks e de Julian Assange, membro destacado dos Coletes Amarelos, propõe que a partir desta sexta-feira se veja cinema e se fale sobre o que está dentro e fora da sala escura: é o curador do simpósio Resistências, que emparelha em Lisboa e em Sintra, no âmbito do 13.º Lisbon & Sintra Film Festival (Leffest), filmes como Joker, Fome ou Marighella e debates com nomes como Guilherme Serôdio (Extinction Rebellion), Francisco São Bento (Sindicato dos Motoristas de Matérias Perigosas), Richard Stallman (software livre) e activistas como Yvane Goua e Minna Salami e filósofos políticos como Mehdi Belhaj Kacem. Yanis Varoufakis fazia parte do programa, mas cancelou a sua visita na quinta-feira.