Algarve enfrenta situação de seca Helena Rodrigues
Reportagem

O deserto entrou pelo nordeste algarvio adentro

A direcção regional de agricultura disparou o primeiro sinal de alerta vermelho: “As disponibilidades de água poderão vir a ser condicionadas pela Agência Portuguesa do Ambiente.” Os campos de golfe disputam a água aos citrinos e abacates.

Os dias sucedem-se, monótonos, e sem pingo de chuva no nordeste algarvio. “Fala-se da desertificação, pois ela já cá mora”, diz Nuno Luís, criador de cabras. E o pior, observa, é que a seca parece ter vindo para ficar. Esta quarta-feira, quando o pastor se levantou, às 5h da madrugada, para fazer a ordenha, verificou que as nuvens estavam a “peneirar”, indiciando que a meteorologia tinha mudado. Puro engano. A chuva miudinha mal chegou para molhar as taliscas do terreno xistoso. O nordeste algarvio encontra-se em situação de “seca extrema”, mas nas cidades os consumos ainda não sofreram restrições.