Fotografia

Ele visitou 1500 lugares abandonados em 50 países: “A natureza é sempre mais forte”

Estufa, Bélgica ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Fotogaleria
Estufa, Bélgica ©Jonathan “Jonk” Jimenez

"O Homem constrói, o Homem abandona. Fá-lo sempre tendo em conta, somente, os seus interesses. A natureza não quer saber. Uma coisa é certa: quando o Homem abandona, a natureza regressa e reclama tudo." As palavras são de Jonathan Jimenez, também conhecido por Jonk, o autor da série e fotolivro Naturalia: Chronicle of Contemporary Ruins. Ao P3, o fotógrafo francês conta que visitou cerca de 1500 lugares abandonados em quase 50 países de quatro continentes para nos recordar que "a natureza é sempre mais forte" e que, "independentemente do que possa acontecer à humanidade, ela permanecerá".

É a quietude destes lugares que o fascina. No seio destas ruínas roídas pelo tempo e tragadas pela vegetação, Jonk encontra um refúgio, "uma pausa do mundo exterior". "Adoro a beleza do espectáculo da passagem do tempo: a ferrugem, as paredes tombadas, descascadas, as janelas partidas. O domínio da natureza sobre estes elementos dá origem a cenários incríveis, extraordinariamente fotogénicos."

Polónia, Croácia, Bélgica, Itália e Hungria são alguns dos países que visitou, apenas dentro da Europa. Encontrar, em cada um, o local onde "a magia acontece" é mais difícil do que parece. Passar muitas horas a "navegar" no Google Maps, em modo de satélite, faz parte dos seus métodos de pesquisa. "Mas também uso como fonte alguns blogues de viagens que fazem menção, esporadicamente, a locais abandonados." Outras vezes, Jonk recebe dicas de seguidores das suas redes sociais, que lhe indicam lugares próximos de suas casas. Lembra, com carinho e deslumbramento, as viagens e as imagens que captou pelos territórios da antiga União Soviética. "Os hotéis e os sanatórios tinham, em muitos casos, mais de 30 anos de abandono, o que permitiu uma invasão esplendorosa da vegetação."

Apesar do aspecto pós-apocalíptico das suas imagens, o carácter da sua mensagem é optimista, refere. E está relacionada com a consciência ambiental que despertou em si quando era ainda muito jovem. "Num tempo em que o domínio do Homem sobre a natureza é tão extremo", Naturalia pretende assumir a função de despertador de consciências. Porque coloca questões fundamentais: "Qual é o papel da humanidade no mundo e de que forma deve relacionar-se com a natureza?"

Actualização: Foram corrigidos os números de locais abandonados e de países onde o fotógrafo francês já esteve (no título e no primeiro parágrafo). A informação anterior encontrava-se desactualizada.

Reservatório, Tailândia
Reservatório, Tailândia ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Mansão, Tailândia
Mansão, Tailândia ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Moradia, Itália
Moradia, Itália ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Parque de um castelo, França
Parque de um castelo, França ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Garagem, Bélgica
Garagem, Bélgica ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Bloco de apartamentos, Japão
Bloco de apartamentos, Japão ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Mosteiro, Bélgica
Mosteiro, Bélgica ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Hospital, Itália
Hospital, Itália ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Piscina, Bélgica
Piscina, Bélgica ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Parque de diversões, Ucrânia
Parque de diversões, Ucrânia ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Palácio, Polónia
Palácio, Polónia ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Castelo, Montenegro
Castelo, Montenegro ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Igreja, Itália
Igreja, Itália ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Estação de comboios, Hungria
Estação de comboios, Hungria ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Fábrica, França
Fábrica, França ©Jonathan “Jonk” Jimenez
Sugerir correcção