Torne-se perito

Dois feridos em ataque ao quartel de bombeiros de Borba

Corporação desconhece motivo para as agressões. GNR identificou três pessoas, mas não fez nenhuma detenção.

Carro
Foto
Rui Gaudencio

Um grupo de “cerca de 20 pessoas” invadiu o quartel dos bombeiros de Borba durante a madrugada deste sábado, tendo agredido os membros da corporação que se encontravam ao serviço. Dois elementos do corpo de Bombeiros Voluntários de Borba ficaram feridos, um ao ser agredido a murro, outro por ser atingido por estilhaços de vidro da porta principal do edifício. Ambos receberam assistência no Centro de Saúde de Estremoz. Três pessoas foram identificadas pelas autoridades, mas não houve detenções.

De acordo com o que a corporação relatou através da rede social Facebook e com o que o comandante dos bombeiros Joaquim Branco declarou mais tarde à Lusa, um grupo de duas dezenas de pessoas deslocou-se ao quartel para pedir socorro a uma vítima inconsciente. Quando questionados sobre se teriam chamado o 112 previamente, os membros do grupo terão reagindo de forma agressiva, atacando os bombeiros. Os bombeiros de piquete acabaram por fechar as portas do quartel, mas o grupo forçou a entrada, tendo partido um vidro.

Joaquim Branco afirma que a situação para o qual foi pedido um socorro inicial acabou por não se confirmar, e que se desconhece qualquer outra motivação para o ataque desta madrugada. 

O grupo só desmobilizou quando a GNR de Borba chegou ao local. Os militares acabaram por pernoitar no quartel para garantir a segurança dos bombeiros, segundo o Correio da Manhã.

A GNR identificou três pessoas envolvidas nos incidentes ocorridos no quartel dos bombeiros de Borba, no distrito de Évora, não tendo havido detenções, disse à agência Lusa fonte daquela força de segurança. Segundo a mesma fonte, o processo vai seguir os trâmites normais, através do Ministério Público.

Notícia corrigida: foi retirada a referência à origem das pessoas envolvidas

Sugerir correcção