Crónica de jogo

Três labaredas do “dragão” queimaram os sonhos do Coimbrões

O FC Porto segue em frente na Taça de Portugal após golear o Coimbrões por 5-0.

A festa dos portistas após um dos golos frente ao Coimbrões
Fotogaleria
A festa dos portistas após um dos golos frente ao Coimbrões LUSA/MANUEL FERNANDO ARAUJO
Sérgio Conceição, treinador do FC Porto
Fotogaleria
Sérgio Conceição, treinador do FC Porto LUSA/MANUEL FERNANDO ARAUJO
Lance do jogo entre o Coimbrões e o FC Porto
Fotogaleria
Lance do jogo entre o Coimbrões e o FC Porto LUSA/MANUEL FERNANDO ARAUJO
Pedro Alves, treinador do Coimbrões
Fotogaleria
Pedro Alves, treinador do Coimbrões LUSA/MANUEL FERNANDO ARAUJO
Luis Díaz, autor de dois golos do FC Porto
Fotogaleria
Luis Díaz, autor de dois golos do FC Porto LUSA/MANUEL FERNANDO ARAUJO

Avisos não faltavam. Sporting, Vitória de Guimarães, Tondela, Desportivo das Aves, Portimonense. Todos eles emblemas da I Liga que foram eliminados nesta terceira eliminatória da Taça de Portugal por clubes de escalões inferiores. E o FC Porto levou a sério os alertas. Frente ao Coimbrões, 10.º classificado da séria B do Campeonato de Portugal, o terceiro escalão do futebol português, os “azuis e brancos” fizeram questão de “matar” o jogo bem cedo. Aos 15’ já venciam por 3-0 e chegaram ao fim da partida com uma goleada de 5-0.

Sérgio Conceição mudou quase toda a equipa do FC Porto para o encontro deste sábado, que decorreu no estádio Jorge Sampaio, casa habitual da equipa B “azul e branca” por falta de condições do recinto do Coimbrões para receber a partida. Em relação ao jogo com o Feyenoord, a contar para a Liga Europa e o último oficial que os “dragões” disputaram antes do duelo deste sábado para a Taça de Portugal, apenas Manafá e Otávio se mantiveram no “onze”.

Só que as mudanças não afectaram a qualidade de jogo portista, que dominou a partida desde o minuto inicial. Perante uma equipa limitada, especialmente a defender, o futebol directo, veloz e corpulento do FC Porto começou muito cedo a fazer estragos E se nas duas primeiras ocasiões de golo o guarda-redes Fábio Mesquita ainda se conseguiu opor, aos 6’ Luis Díaz inaugurou o marcador, dois minutos depois Soares dilatou a vantagem e, quatro minutos mais tarde, Mbemba “matou” a partida, aproveitando um ressalto de bola após boa jogada de Otávio.

O Coimbrões mais não conseguia fazer do que tentar não se afogar, perante um FC Porto que encarou a partida de forma séria, sem contemplações perante um adversário teoricamente mais frágil.

Tendo chegado ao 3-0 de forma tão rápida e fácil, os “dragões” baixaram um pouco o ritmo e estiveram dez minutos sem alvejar a baliza adversária (entre o minuto 18 e o 28). Mas nem por isso o Coimbrões foi capaz de se aproximar da baliza deste sábado à guarda de Diogo Costa, não tendo feito nenhum remate nos primeiros 45 minutos.

O segundo tempo trouxe mais golos. Mas antes deixou ver o primeiro - e único - lance de perigo do Coimbrões junto da baliza do FC Porto. Uma arrancada de Alex Gomes causou problemas à defesa “azul e branca”. Uma excepção na regra de um jogo em que os portistas dominaram do princípio ao fim, e que ainda permitiu a Sérgio Conceição promover os regressos dos lesionados de longa data Sérgio Oliveira e Aboubakar.

Sem colocar em campo metade da velocidade com que jogou no primeiro quarto de hora de jogo, o FC Porto voltaria aos golos nos segundos 45 minutos, primeiro de novo por Luis Díaz, em mais uma jogada em que ficaram patentes as fragilidades defensivas do Coimbrões (69’) e depois, já no ocaso da partida, por intermédio de Fábio Silva (81’) que, na recarga a um remate de Diogo Leite, se tornou no mais jovem jogador do FC Porto a marcar pela primeira equipa “azul e branca”.