Federer e Medvedev regressam às vitórias em Xangai

João Sousa foi afastado por Vasek Pospisil em dois sets.

Foto
Reuters/ALY SONG

De regresso ao ATP Tour depois da eliminação nos oitavos-de-final do US Open, diante de Grigor Dimitrov – e após contribuir para a vitória da Europa na Laver Cup –, Roger Federer estreou-se no Rolex Shanghai Masters com uma vitória significativa sobre Albert Ramos Vinolas. É que o tenista espanhol tinha derrotado Federer neste mesmo torneio, em 2015, interrompendo uma série de 15 derrotas frente a adversários do top 10. Desta vez, o actual número três do ranking estava mais avisado e venceu, sem enfrentar qualquer break-point.

“Pensei nisso, revi alguns momentos e lembrei-me de como me senti. Tive as minhas oportunidades, ganhei muitos mais pontos do que aqueles que perdi, por isso, devia ter vencido esse encontro. Ao defrontá-lo nas mesmas condições, em Xangai, sabia que ele podia ser perigoso e é por isso que estou muito satisfeito por ter podido controlar o encontro”, afirmou Federer, depois de eliminar Ramos Vinolas (46.º), por 6-2, 7-6 (7/5).

O suíço de 38 anos, que procura o terceiro título em Xangai e 29.º na categoria Masters 1000, terá como próximo adversário o vencedor do duelo entre David Goffin (14.º) e Mikhail Kukushkin (57.º).

Igualmente isento da ronda inicial por figurar entre os oito primeiros cabeças de série, Daniil Medvedev somou a 55.ª vitória em 2019, distanciando-se na liderança do número de encontros ganhos esta época. O 25.º encontro ganho dos últimos 28 realizados desde Julho foi diante do britânico Cameron Norrie e terminou com os parciais de 6-3, 6-1.

“Nunca é fácil defrontar um jogador do qualifying. Foi o meu primeiro encontro em Xangai depois de algumas semanas sem competir, por isso estava um pouco ansioso, mas acabei por jogar a um bom nível”, admitiu o finalista do US Open. Nos oitavos-de-final, Medvedev defronta o canadiano Vasek Pospisil (248.º).

O canadiano, 25.º do ranking em 2014, regressou ao circuito em Julho, após uma cirurgia a uma hérnia discal em Janeiro, e somou a sexta vitória esta época, com os parciais de 6-3 e 7-5. Um break em cada set desequilibrou o embate com o português João Sousa a favor de Pospisil, que venceu 31 dos 34 pontos disputados com o seu primeiro serviço e anulou os dois únicos break-points que enfrentou, ambos no jogo inaugural.

“Foi um encontro difícil, em que não consegui jogar ao mesmo nível das outras semanas. Mérito para ele, que serviu muito bem, não me deu muito ritmo de jogo e, tacticamente, também não estive muito bem, apesar de ter tentado ser fiel ao meu estilo de jogo”, reconheceu Sousa, que continua em competição em pares, ao lado do argentino Diego Schwartzman.

No challenger de Santo Domingo, Gastão Elias (360.º) voltou a não ser feliz e, diante de Oscar Jose Guttierrez (390.º), teve de abandonar a 4-4 do terceiro set devido a uma lesão lombar.