Inspecção da Defesa foi incapaz de apurar responsabilidades no achamento de Tancos

Ministro Gomes Cravinho deu duas semanas aos inspectores para apurarem legalidade da actuação da Polícia Judiciária Militar.

,Tancos
Foto
LUSA/PAULO NOVAIS

A Inspecção-Geral da Defesa Nacional não conseguiu responsabilizar nenhum militar pelo que se passou no chamado achamento das armas roubadas do quartel de Tancos. O ministro da Defesa, João Gomes Cravinho, deu aos inspectores apenas duas semanas para apurarem a legalidade da actuação da Polícia Judiciária Militar (PJM) neste caso: no despacho em que lhes encomendou o inquérito, a 1 de Abril passado, o governante fixou a data de 15 desse mesmo mês como data de entrega do documento.