Tancos: PS opõe-se a reunião do Parlamento pedida pelo PSD

Socialistas dizem que o requerimento apresentado pelo PSD “assenta em insinuações e suposições e procura misturar a esfera política e a judicial”.

Foto
FRANCISCO ROMãO PEREIRA

Os socialistas consideram que o Parlamento “não deve ser instrumentalizado” e por isso vão votar contra a realização de uma reunião da comissão permanente do Parlamento, a pedido do PSD.

Numa nota enviada às redacções, esta segunda-feira o grupo parlamentar do PS defende que “não se afigura razoável o pedido formulado pelo PSD, tendo em conta que assenta em insinuações e suposições e procura misturar a esfera política e a judicial de forma pouco respeitadora do princípio da separação de poderes”.

Para o PS, “a prática constitucional dos últimos 40 anos” mostra que tal nunca aconteceu e não é com “convocatórias em cima da hora e ao arrepio do que são as práticas estabilizadas que se dignifica o debate e o escrutínio parlamentar”.

A comissão permanente é o órgão da Assembleia da República que se reúne quando o Parlamento está fechado em casos de urgência.

Esta quarta-feira os líderes parlamentares vão decidir se a reunião se realiza ou não, mas já é certo que a proposta do PSD conta com a oposição dos socialistas, que serão representados por Carlos César.