Pichardo avança para a final do triplo, Évora não

Luso-cubano foi o melhor nas qualificações desta sexta-feira nos Mundiais de atletismo em Doha. Évora ficou a sete centímetros.

Évora ficou a sete centímetros da final do triplo
Fotogaleria
Évora ficou a sete centímetros da final do triplo LUSA/DIEGO AZUBEL
Pichardo foi o melhor na qualificação
Fotogaleria
Pichardo foi o melhor na qualificação Reuters/HANNAH MCKAY

Destinos diferentes para os dois atletas portugueses na qualificação para o triplo-salto dos Mundiais de atletismo em Doha. Pedro Pablo Pichardo qualificou-se facilmente para a final com um salto a 17,38m logo à primeira tentativa, naquele que foi o melhor entre os dois grupos de qualificação, enquanto Nelson Évora não saltou o suficiente para ficar entre os 12 finalistas.

Numa qualificação em progressão em que saltou 16,26m ao primeiro ensaio e 16,67m ao segundo, o atleta do Sporting saltou 16,80m no terceiro ensaio, ficando a sete centímetros do último dos qualificados, o turco Necatí Er (16,87m), terminando em 15.º (em 33 atletas) e sem possibilidade de defender a medalha de bronze conquistada há dois anos, nos Mundiais de Londres.

Quanto a Pichardo, que está autorizado a competir por Portugal desde Agosto passado, foi um dos dois que fez acima da marca de qualificação exigida (17,10m) e lançou um sério aviso à concorrência na luta pela medalha de ouro. O outro foi Hugues Fabrice Zango, do Burquina-Faso, com 17,17m no seu segundo salto de qualificação, sendo que os outros grandes favoritos, os norte-americanos Christian Taylor e Will Claye, também avançam para a final.

Para Évora, que era o atleta mais velho em competição (35 anos), acaba por ser um resultado bastante abaixo até do que já tinha feito este ano - fez 17,13m em Julho passado - e não irá em Doha aumentar a sua numerosa colecção de medalhas em grandes competições, que inclui um título de campeão mundial em 2007, uma medalha de prata e duas medalhas de bronze também em Mundiais.