Bruno Lage: “FC Porto foi a equipa que mais pontuou na UEFA nos últimos 20 anos”

Treinador do Benfica alertou para a qualidade do Belenenses, na véspera da 2.ª jornada na Liga, e realçou o contributo dos “dragões” para o ranking português.

Foto
Rui Gaudencio

O treinador do Benfica destacou nesta sexta-feira a “enorme qualidade” do Belenenses SAD, adversário frente ao qual o campeão pretende “dar a melhor resposta” no jogo de sábado (19h), da 2.ª jornada da I Liga de futebol.

“Para conhecer o Belenenses basta ver o primeiro jogo deste campeonato: Portimonense-Belenenses. A riqueza táctica desse jogo, quer de um lado e do outro, evidencia a enorme qualidade do Belenenses a defender e a atacar. Preparámo-nos para dar a melhor resposta. Foi um jogo que terminou 0-0, mas com uma grande riqueza táctica”, afirmou Bruno Lage, no centro de estágio no Seixal.

Em conferência de imprensa, o técnico campeão nacional desvalorizou, repetidamente, a proximidade do “clássico” com o FC Porto, já na terceira ronda, e confessou não se lembrar de ver algum treinador dizer que o pensamento não estava no adversário seguinte.

“Tem sido a nossa postura: sair de um jogo e entrar apenas no jogo seguinte. Não tenho memória de um treinador que vos tenha dito que estava a pensar em outro jogo. Queremos estar no confronto: uma ideia em confronto com outra e jogadores em confronto com outros. É o que nos motiva”, garantiu.

Questionado sobre as diferenças no arranque entre Benfica e FC Porto e o impacto da ausência dos “dragões” na Liga dos Campeões e a consequente subida dos “encarnados” ao pote 2, Bruno Lage lamentou a eliminação do rival, lembrando a importância que teve na pontuação para o ranking da UEFA.

“Na Liga dos Campeões não há jogos fáceis, temos de estar preparados para todos os adversários. E temos de olhar para o panorama do futebol português: não nos podemos esquecer do percurso do FC Porto na Liga dos Campeões nos últimos 20 anos, que foi a equipa que mais pontuou para ainda termos uma equipa directa na fase de grupos”, observou.

O técnico do Benfica manifestou ainda satisfação pelas renovações de contrato de Adel Taarabt e Tomás Tavares, “pelo reconhecimento do trabalho de um colectivo” e dos próprios atletas individualmente. E rejeitou que o central argentino Conti esteja de saída do clube, recusando pronunciar-se sobre a continuidade do avançado venezuelano Jhonder Cádiz no plantel benfiquista.