Humberto Lopes

Na Quirguízia, em busca do sal da montanha

O território da Quirguízia é atravessado pelas vastas cordilheiras da montanha Tien Shan, as “Montanhas Celestiais”. No flanco leste, perto da fronteira com a China, a região à volta do lago Issyk-Kul atrai cada vez mais montanhistas e caminheiros de todo o mundo.

O dia havia dado em chuvoso. As previsões meteorológicas baralharam-se e à primeira luz da alvorada um longo aguaceiro tombou sobre o acampamento. Em Althyn-Arashan, um vale alpino situado vinte quilómetros a sudeste de Karakol, uma das principais povoações que bordejam o lago Issyk-Kul, os caprichos atmosféricos são tão banais como os atrasos dos comboios em certos países. Mas tais imponderabilidades não demovem os caminhantes e montanhistas que vieram de longe até às terras altas da Quirguízia, até às belas cordilheiras que formam a Tien Shan – um imenso sistema montanhoso com 2500 quilómetros de comprimento e cerca de 500 de largura, que se estende desde a China até ao Tajiquistão. O nome, em mandarim, significa Montanhas Celestiais.