No país dos arquitectos, a precariedade é a lei

Estudo promovido pela Secção Regional do Norte da Ordem mostra que os arquitectos portugueses ganham cerca de 1/3 do que ganham os europeus e, no país, 2/3 do que ganham os licenciados nos mesmos escalões etários.

Fotogaleria
“Não haverá muitas profissões em Portugal que tenham o impacto e a projecção internacional da arquitectura", diz Alexandre Ferreira Nelson Garrido
Fotogaleria
Exposição "Poder Arquitectura": inauguração da Casa da Arquitectura, em Matosinhos, em Novembro de 2017 Nelson Garrido
Fotogaleria
Casa da Arquitectura, Matosinhos Nelson Garrido

Portugal tem o segundo maior número de arquitectos per capita na Europa, mas tem simultaneamente os profissionais mais mal pagos do sector, com vencimentos médios que são pouco superiores a um terço do verificado na União Europeia (UE). Este é o dado mais notório do estudo encomendado pela Secção Regional Norte da Ordem dos Arquitectos (OA/SRN) à Escola de Gestão e Economia da Universidade do Minho (UM), e que é o primeiro passo do Plano Estratégico para o Sector da Arquitectura do Norte de Portugal lançado por aquela secção regional.