Em Mação, o desalento de quem revive o inferno ano após ano

Na paisagem já enegrecida pelos incêndios de 2017, bombeiros lutam para extinguir as chamas e evitar reacendimentos. O PÚBLICO está no local a acompanhar as operações e a conhecer as histórias presentes nos fogos que atingem os distritos de Castelo Branco e Santarém.

,Conflagração
Fotogaleria
Chamas aproximam-se da casa de habitante de Sarnadas Paulo Pimenta
macao,incendios,reportagem,sociedade,incendios-florestais,
Fotogaleria
Área florestal do concelho foi devastada pelas chamas PAULO PIMENTA
macao,incendios,reportagem,sociedade,incendios-florestais,
Fotogaleria
Da parte da manhã, fogo já dava luta aos bombeiros Paulo Pimenta
macao,incendios,reportagem,sociedade,incendios-florestais,
Fotogaleria
ÁrMeios aéreos não foram suficientes para impedir progresso das chamas Paulo Pimenta
macao,incendios,reportagem,sociedade,incendios-florestais,
Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Durante a tarde, chamas ganharam maior dimensão Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta
Fotogaleria
Paulo Pimenta

O rodopio das chamas a norte da freguesia de Sarnadas, no concelho de Mação, deixou de coração apertado uma dezena de habitantes que na tarde deste domingo se concentravam num troço com cerca de 100 metros de comprimento. Estavam completamente cercados pelo fogo com quatro frentes activas.