Torne-se perito

Mais uma vitória épica em Wimbledon para João Sousa

O próximo adversário do tenista português será o espanhol Rafael Nadal.

João Sousa
Foto
João Sousa LUSA/FACUNDO ARRIZABALAGA

Pela primeira vez, um tenista de Portugal vai competir na segunda semana do Torneio de Wimbledon, o mais prestigiado das quatro provas do Grand Slam. No período de 10 meses, João Sousa alcança pela segunda vez os oitavos-de-final de um major, repetindo o resultado obtido no Open dos EUA, em Setembro do ano passado. Mas foi preciso muito coração, crença, combatividade e pernas para superar o britânico Daniel Evans, numa batalha épica de cinco sets e quatro horas.

“Muito orgulhoso”, foram as primeiras palavras do número um português, actual 69.º no ranking mundial, à saída do court n.º1, onde derrotou Evans (61.º), por 4-6, 6-4, 7-5, 4-6 e 6-4.

Em todos os sets, Sousa esteve com um break de desvantagem, tendo o ponto de viragem acontecido no segundo set, quando aproveitou os seus primeiros break-points, confirmando a recuperação de 2-4.

No quinto set, já com o tecto fechado devido à falta de visibilidade, Evans fez o break para 2-1, mas o vimaranense não o deixou distanciar-se, quebrando o serviço de imediato.

Evans veio para Wimbledon com confiança, depois de vencer dois challengers em relva (Nottingham e Surbiton) e passar duas rondas no ATP 250 de Eastbourne, num total de 12 encontros ganhos neste piso. Mas apesar do incondicional apoio do público compatriota, a eficácia do britânico foi baixando, especialmente desde que desperdiçou um break-point a 3-3. E, a partir do 4-4, a maior força de vontade de Sousa veio ao de cima e só perdeu dois pontos até final.

“Há poucas palavras que possam descrever a minha felicidade. Foi um encontro incrível, um ambiente impressionante, um campo completamente cheio, foi o ambiente mais incrível em que eu alguma vez já joguei; quando fechou o estádio ficou lindíssimo e foi uma experiência única. Foi um encontro muito exigente, não só ao nível físico, mas também mental, o público sempre a puxar por ele como é natural quando se joga com um jogador da casa. Estive muitas vezes por baixo e consegui dar a volta. Acreditei sempre que podia vencer. Houve momentos muito bons, outros não tão bons, mas, em geral, penso que joguei a grande nível e estou muito contente por conseguir esta vitória e por estar na quarta ronda de Wimbledon, que é um torneio muito especial para mim. Foi um encontro que vai ficar na minha memória para sempre e tanto eu como a minha equipa estamos muito orgulhosos de fazer parte da história de Portugal”, afirmou Sousa.

Depois de actuar no segundo campo mais importante do All England Club, o tenista luso vai jogar segunda-feira no court central com Rafael Nadal, com quem perdeu os dois duelos travados, em 2014 e 2016, ambos em terra batida. Ontem, o número dois do ranking dominou totalmente Jo Wilfried Tsonga (72.º), por 6-2, 6-3 e 6-2.

No dia em que se cumpriram 16 anos do seu primeiro triunfo no Grand Slam, Roger Federer também fez história ao tornar-se no primeiro homem a ganhar 350 encontros em torneios do Grand Slam. A marca foi alcançada ao vencer Lucas Pouille (28.º), por 7-5, 6-2 e 7-6 (7/4), seguindo-se agora um dos jogadores em foco esta época, o italiano Matteo Berrettini (20.º).

Depois do habitual domingo de descanso, o torneio recomeça com a Manic Monday, em que se disputam os oitavos-de-final dos quadros de singulares, masculinos e femininos.

Sugerir correcção