Opinião

A nossa responsabilidade quando o SNS pouco pode fazer

Neste momento, sinto bastante vaidade em nós, portugueses. Agora, a bola volta a estar do lado das autoridades, que não devem criar entraves burocráticos a que o medicamento entre em Portugal e seja aplicado na Matilde.

Há uns anos, vi uns vídeos no Youtube com Milton Friedman a falar sobre uma série de assuntos. Concorde-se ou não com o homem, é um prazer ver a sua mente brilhante a funcionar. Num dos vídeos que vi, numa sessão de perguntas e respostas, há alguém que desafia as suas ideias liberais sobre Saúde dando um exemplo concreto de alguém que tinha morrido por falta de assistência médica. E perguntava se o Estado não tinha obrigação de garantir os cuidados médicos desse homem.