Holanda e Suécia juntam-se a EUA e Inglaterra nas meias-finais

Pela primeira vez na sua história a selecção feminina da Holanda chega a uma meia-final de um Mundial de futebol.

Foto
A Holanda festejou um feito inédito num Mundial LUSA/TOLGA BOZOGLU

O futebol feminino holandês está a viver tempos memoráveis. Depois de a selecção laranja ter conquistado o Europeu há dois anos, garantiu este sábado, pela primeira vez, a presença nas meias-finais do Mundial, que se está a disputar em França. Um triunfo frente à Itália, por 2-0, valeu a passagem e a Suécia, que eliminou a Alemanha (2-1), será a última barreira para o encontro do título, na próxima quarta-feira, em Lyon.

As duas selecções europeias juntam-se aos EUA (que batera na véspera a anfitriã do torneio, em Paris, por 1-2) e à Inglaterra (que ultrapassou a Noruega). As norte-americanas, que já contam com três títulos mundiais no seu palmarés nas sete anteriores edições (lideram o ranking, seguidas da Alemanha, com dois campeonatos), entre as quais a última, vão procurar manter a hegemonia na modalidade. Para já têm encontro marcado com a formação britânica, na terça-feira, também em Lyon.

Para fazer história, a Holanda teve de esperar até ao minuto 70, quando Miedema assinou o golo inaugural. Dez minutos depois, seria Stefanie van der Graat a confirmar a vitória, em Valenciennes.

As meias-finais vão contar com três equipas europeias, o que já não acontecia desde o primeiro Mundial, em 1991, na China. O primeiro que os EUA venceram, batendo na final a já eliminada Noruega, por 2-1.

A equipa americana volta a assumir o grande favoritismo neste torneio e é também totalista de presenças nas meias-finais, tendo alcançado sempre o pódio. Para além dos títulos (1991, 1999 e 2015), conseguiu um vice-campeonato, em 2011 (perdeu nas grandes penalidades com o Japão) e três terceiros lugares (1995, 2003 e 2007).