Quando a reciclagem do plástico muda vidas, o planeta agradece

Todos conhecemos o impacto que o plástico tem no planeta, mas existe um projecto, que usa a reciclagem deste material em excesso, que está a mudar a vida de algumas das pessoas mais marginalizadas do mundo.

Foto
D.R.

Anamma apanha lixo desde criança. No total, já se passaram cerca de 30 anos e a actual gerente do centro de recolha de lixo em Bangalore, na Índia, conhece melhor do que ninguém as dificuldades que os recolhedores de lixo enfrentam: assédio, pagamentos atrasados e problemas de saúde. É uma actividade difícil e fisicamente exigente, desprezada pela sociedade. No entanto, esta ex-recolhedora do lixo mantém-se orgulhosa na profissão. “Acredito que temos um papel muito importante ao manter as cidades limpas e ajudando a reciclar a enorme quantidade de resíduos plásticos que a sociedade produz”, explica Anamma.

Veeramma trabalha há 15 anos como separadora de lixo num centro de resíduos secos. “É um trabalho árduo, mas dá-me uma grande flexibilidade e é uma forma de controlar os meus ganhos e de sustentar a minha família”, explica a mãe de três filhos. 

PÚBLICO - Annamma
Annamma D.R.
PÚBLICO - Veeramma
Veeramma D.R.
PÚBLICO - Naseema
Naseema D.R.
Fotogaleria
D.R.

Estes são dois dos muitos rostos para quem o plástico representa a única fonte de rendimento. Só na Índia existem 1,5 milhões de recolhedores de lixo que apanham 6 mil toneladas de plástico todos os dias e impedem que este acabe nos rios e nos oceanos. Os recolhedores, muitos deles mulheres, são praticamente invisíveis na sociedade indiana, vivem no limiar da pobreza e trabalham em condições verdadeiramente angustiantes. Mas algo está a ser feito para promover a mudança.

Mais um passo para a mudança

A boa notícia é que estão a nascer projectos que não só dão uma nova vida ao plástico que usamos no nosso dia-a-dia, como representam uma verdadeira mudança na vida destas pessoas. Um deles é o primeiro projecto de Comércio com Comunidades de Plástico Reciclado da The Body Shop, em parceria com a Plastics For Change. A marca, que soma já três décadas de experiência de apoio a pessoas marginalizadas, comprará, durante este ano, 250 toneladas de plástico reciclado proveniente de Bangalore, para usar em quase três milhões de garrafas de 250 ml de champôs e condicionadores. No futuro, as garrafas serão feitas com 100% de plástico reciclado, excluindo as tampas das garrafas. Desse total, 15% será relativo a plástico reciclado do Comércio com Comunidades e o restante será de plástico reciclado proveniente de fornecedores europeus. O objectivo, porém, passa por aumentar a quantidade de plástico reciclado proveniente do Comércio com Comunidades e apoiar recolhedoras de lixo como Anamma, Veeramma e Naseema.

PÚBLICO -

Da reciclagem à aquisição de poder 

Ao longo dos próximos três anos, a marca de cosmética The Body Shop aumentará a compra de plástico reciclado para mais de 900 toneladas. Segundo a marca, vai ajudar “a empoderar até 2500 recolhedores de Bangalore, que receberão um preço justo e estável pelo seu trabalho e acesso a melhores condições de trabalho”. Estes receberão também apoio no acesso aos serviços básicos de saúde, educação e financeiros e o devido reconhecimento na sociedade.

Para além disso, a parceria entre a The Body Shop e a Plastics for Change visa a criação de um valor fixo para o plástico apanhado, para que os recolhedores tenham um salário regular e justo.

Mas a luta da The Body Shop é maior do que dar o verdadeiro valor ao plástico. A meta é impulsionar uma mudança social, ajudando a capacitar as pessoas ao mesmo tempo. O plástico reciclado do Comércio com Comunidades é apenas uma parte do compromisso da empresa para tornar as suas embalagens mais sustentáveis. Nas suas lojas, a The Body Shop está a incentivar os seus clientes a devolverem as embalagens vazias e a tornar a reciclagem mais fácil e acessível do que nunca.