Videoárbitro com linhas de fora-de-jogo na próxima temporada

Liga de Clubes e Federação anunciam uma medida que esteve a ser estudada nos últimos meses. Balanço da arbitragem esta temporada, apoiada pelo VAR, é positivo.

Liga de Clubes fez um balanço positivo do VAR esta temporada
Foto
Liga de Clubes fez um balanço positivo do VAR esta temporada LUSA/JOSÉ COELHO

As linhas de fora-de-jogo vão ser implementadas no sistema de videoárbitro (VAR) na próxima época de futebol, revelaram esta segunda-feira a Federação Portuguesa de Futebol (FPF) e a Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP), em comunicado conjunto, enviado à agência Lusa.

“Depois de um processo de estudo com resultados positivos, a FPF e a LPFP, esta articulação com os clubes participantes na I Liga em 2019/20, decidiram implementar esta ferramenta”, refere a nota.

Os árbitros que recorrem à tecnologia para verificar a ocorrência de um lance em fora de jogo terão o apoio de linhas com a imagem parada no momento da infracção, como é visível na realização de transmissões televisivas.

Os dois organismos explicam ainda que se inicia agora uma “fase de reajustes técnicos das condições estruturais e logísticas que garantam que o sistema ficará operacional no arranque da próxima época”.

FPF e LPFP acrescentam que, ao darem mais este passo, os dois organismos disponibilizam os recursos necessários, “de forma a corresponder às exigências da competição”.

O VAR teve a sua estreia nas principais competições portuguesas de futebol em 2017/18, tendo funcionado, durante duas temporadas, sem as linhas de fora de jogo.

Videoarbitragem teve uma época “positiva”, diz a Liga

A directora executiva da Liga de Clubes, Sónia Carneiro, considerou que o balanço da arbitragem com apoio do VAR esta temporada “é positivo”. “Tudo o que possa ajudar a trazer mais verdade desportiva é importante. O VAR está ao serviço dos árbitros para melhorar a arbitragem, mas nada é perfeito”, ressalvou. 

Sónia Carneiro garante que a implementação e consenso do VAR ainda está “a começar”, porque “a videoarbitragem tem apenas dois anos em Portugal”.

“Tenho a certeza que o próximo ano será ainda melhor. O ruído em torno da arbitragem e da disciplina não estão na Liga”, garantiu a dirigente. “Foi evidente para todos que as coisas correram menos bem, mas só não falha quem não faz. As pessoas assumiram os seus erros. A arbitragem está na Federação desde 2012, que devem pensar o que querem fazer. Nós pensamos na organização das competições, recebemos o serviço da arbitragem”.