Paulo Pimenta
Foto
Paulo Pimenta

Fotografar os direitos humanos pode dar prémios

Há prémios de 400, 200 e 100 euros para as fotografias que melhor representem os Direitos Humanos, tiradas por jovens entre os 16 e os 25 anos.

Como é que os jovens vêem e pensam os Direitos Humanos? É este o mote do concurso de fotografia dinamizado pela associação Duarte Tarré, uma organização sem fins-lucrativos que dá bolsas de estudo a jovens com dificuldades financeiras que se distinguem no ensino superior. São também os jovens residentes em Portugal, entre os 16 e os 25 anos, quem pode concorrer até 20 de Junho aos prémios de 400, 200 e 100 euros.

Segundo o regulamento, só serão aceites fotografias inéditas (em formato .jpeg e .png), num máximo de três imagens por pessoa, que devem ser enviadas por email ([email protected]) ou preenchendo este formulário.

O júri, constituído por um membro da associação Duarte Tarré, uma pessoa com experiência na área dos Direitos Humanos e Cidadania e um profissional de fotografia, vai escolher os vencedores de acordo com a “originalidade, criatividade, evidenciação de múltiplas visões” sobre o tema.

A participação no concurso “implica a aceitação da cedência dos direitos das fotografias à Associação Duarte Tarré, que as poderá utilizar em publicações e meios de divulgação da instituição, redes sociais, exposições, site institucional, meios de comunicação social, renunciando o autor a qualquer compensação, designadamente financeira”, lê-se no regulamento

As candidaturas terminam até 20 de Junho.