Crónica de jogo

O Sporting continua a ter um problema com o Tondela

Empate em Alvalade deixa “leões” sem esperanças de lutar pelo segundo lugar e renova esperanças da equipa beirã de ficar na I Liga.

Foto
LUSA/JOSÉ SENA GOULÃO

O Tondela é um relativo recém-chegado à primeira divisão e, por isso, não tem muitos confrontos com o Sporting. Mas não são poucas as vezes que causa estragos sempre que se cruza com os “leões”. Já o tinha feito esta época em casa, na primeira volta (triunfo por 2-1), voltou a fazê-lo neste sábado em Alvalade, arrancando um empate (1-1) na penúltima jornada do campeonato que tirou o Sporting da luta pelo segundo lugar e que manteve a equipa beirã dona do seu próprio destino na luta pela manutenção. 

Esta partilha de pontos passou, essencialmente, por três nomes: Bruno Fernandes, que marcou o seu 20.º golo no campeonato na sua provável despedida de Alvalade; Ristovski, que foi expulso pela terceira vez esta época; Tomané, que, tal como na primeira volta, voltou a ser o herói da equipa orientada por Pepa. E foi uma partilha de pontos que deu às duas equipas estados de espírito diferentes para a última jornada: o Sporting vai ao Dragão para cumprir calendário e afinar estratégias para a final da Taça; o Tondela recebe o Desp. Chaves a depender apenas de si mesmo para ficar na principal Liga nacional.

O Sporting já devia saber o que o Tondela é capaz de fazer, quase como se tivesse uma motivação extra quando encontra os “leões” - não só demonstrada pela vitória na primeira volta, mas por dois empates nas três visitas anteriores a Alvalade. E os homens de Pepa quase que se colocaram em vantagem ainda antes de se completar o primeiro minuto. Um desentendimento entre Borja e Mathieu deixou Tomané na cara de Renan Ribeiro, mas este ainda não seria o momento heróico do avançado do Tondela. O guardião brasileiro do Sporting ganhou o primeiro duelo com o avançado.

Não demorou muito tempo até os “leões” se colocarem em vantagem. Aos 4’, solicitado por Bruno Fernandes, Ristovski arrancou pela direita, meteu a bola em Luiz Phellype, mas a acção do avançado brasileiro foi estorvada por Ricardo Costa. O árbitro Tiago Martins assinalou penálti e, dois minutos depois da falta, Bruno Fernandes converteu o castigo em golo. Era uma boa entrada em campo dos “leões”, consistente com as boas exibições nos últimos meses. E houve vários momentos de aproximação do Sporting para poder fazer crescer o resultado e ficar ainda mais tranquilo na partida.

Mas, basicamente, aconteceu Ristovski ao Sporting. Pela terceira vez, o lateral macedónio viu o cartão vermelho directo, aos 38’, desta feita por uma falta cometida sobre Delgado na área do Sporting num lance sem bola. A falta só não deu penálti porque Tomané, à entrada da área “leonina”, tinha dominado a bola com o braço. Talvez nas suas outras expulsões (Moreirense e Vitória de Setúbal) Ristovski se tivesse sentido injustiçado, mas nesta só se podia sentir envergonhado.

Com isto, o Sporting escapou a uma punição maior, mas ia ter de enfrentar um jogo em inferioridade numérica pela sexta vez no campeonato. A verdade é que durante bastante tempo o Sporting pareceu não sentir a inferioridade numérica, nem o Tondela esteve bem a aproveitar o 11 contra 10. Durante largos minutos da primeira parte, os “leões” tiveram várias bolas de golo, mas faltou-lhes a pontaria que tinham tido em excesso no jogo anterior - e Cláudio Ramos fechou a baliza a tudo o que lhe apareceu pela frente.

E depois, a equipa de Pepa contou com o seu herói habitual. Depois de já ter marcado um espectacular golo no jogo da primeira volta, Tomané estava no sítio certo para assinar o golo do empate (e da potencial salvação do Tondela) aos 67’, na sequência de um pontapé de canto. De seguida, o jogo partiu-se e podia ter caído para qualquer lado, mas ficou precisamente como estava.