Juventus campeã: a Série A, quando nasce, não é para todos

Ronaldo e Cancelo são campeões italianos. Foi o primeiro campeonato dos portugueses, o 35.º da Juventus e o oitavo consecutivo da equipa de Turim. Ronaldo cunhou uma marca inédita na história do futebol.

Ronaldo e Alex Sandro festejam o primeiro golo da Juventus.
Fotogaleria
Ronaldo e Alex Sandro festejam o primeiro golo da Juventus. Reuters/MASSIMO PINCA
Fotogaleria
Cristiano Ronaldo Reuters/MASSIMO PINCA
Fotogaleria
Crsitiano Ronaldo Reuters/MASSIMO PINCA

Todos os anos nasce uma nova Série A, todos os anos ganha o campeão de sempre. Depois de duas desilusões – festa falhada na semana passada e eliminação na Champions – a Juventus está, finalmente, em festa: somou, neste sábado, o oitavo campeonato consecutivo e o 35.º da história. Este último significa, para a Juventus, ficar a um de ter tantos como Inter e AC Milan… juntos. Significa, também, o aumento da vantagem no duelo inter-cidades: Turim (Juventus e Torino) soma 42, Milão (Inter e Milan) 36 e Génova (Génova e Sampdoria) 10.

A Juventus “pôs a mão na taça” depois de bater a Fiorentina, por 2-1, em Turim. A “juve” até começou a perder, com o golo de Milenkovic, mas Alex Sandro, primeiro, e um autogolo de Pezzella, depois, garantiram que haveria festa no Allianz Stadium. Com este resultado, a “vecchia signora” fica com 20 pontos de vantagem para o Nápoles, uma diferença matematicamente irrecuperável por parte dos napolitanos.

Com a conquista da Série A, a Juventus garante o triunfo em metade das provas que disputou nesta temporada: venceu também a Supertaça italiana, em contraste com as eliminações na Liga dos Campeões e na Taça de Itália.

Este sábado marca ainda, para o treinador Massimiliano Allegri, uma façanha importante: o quinto título italiano permite ao técnico juntar-se a Fabio Capello e Marcelo Lippi, no segundo lugar deste ranking, apenas superados pelos sete títulos de Giovanni Trapattoni.

A talhe de foice, destaque para o facto de, neste sábado, a Juventus ter conquistado a Série A “duas vezes”: conquistou o campeonato masculino, batendo a Fiorentina, e conquistou a Série A feminina, superando, curiosamente, a concorrência… da Fiorentina.

Ronald(ois)

Para Cristiano Ronaldo, este título tem um significado especial: conquista a primeira Série A da carreira – tal como João Cancelo –, logo no primeiro ano no “país da bota”, e torna-se o primeiro jogador da história do futebol a conquistar o título nacional em Inglaterra, Espanha e Itália, as “big 3” do futebol europeu.

Para Ronaldo, este é o segundo título em Itália, depois da Supertaça, com o português a culminar uma temporada difícil: um início de temporada sem “ketchup” – demorou mais de 300 minutos a marcar pela Juventus – e um percurso na Champions que começou com uma expulsão frente ao Valência e terminou com uma eliminação, em casa, frente ao Ajax.

Depois da festa do título, Ronaldo aproveitou para descansar os “tiffosi” italianos. Questionado sobre os rumores de uma possível saída, o português foi claro: “fico a 1000%”.

Também Massimiliano Allegri abordou a continuidade como treinador, ainda que tenha recusado ser taxativo como Ronaldo, optando por “passar a bola” para o lado da direcção do clube: “Temos de aproveitar esta festa e, depois, logo nos encontramos para falar. Tenho contrato, mas vamos falar, como sempre fizemos nos últimos cinco anos”.