Fred, e não o rei D. Sebastião, revela-se musicalmente no espelho

Para quem não conhece, e para melhor o apresentar, é simples: basta voltar ao nosso texto de 2015. Aí ele era comparado (simpaticamente) com uma enorme vedeta internacional, o Pharrell Williams. Estranho? Abram o link e leiam. E poder-se-á também ver o videoclipe de um dos temas que apresentou há cinco anos, embora o tal álbum que se supunha chegar nesse ano, e trazer todo um esplendor prometido, tenha ficado caído nesse “palco à saudade” por uma paixão perdida. E se era desejado por muitos que o acompanhavam de outras conquistas musicais, apenas ficou essa memória enevoada que era o belíssimo vídeo de In Love One Day. Pois bem, Fred (Pinto Ferreira), um príncipe do nosso reino musical (filho de Kalú), e um versátil e prolífico músico, e produtor, chegou para se apresentar finalmente a solo. Em maio surgirá o álbum O Amor Encontra-te no Fim. E como essa coisa do single é uma abstração do passado que já não faz sentido – afinal, agora é sempre um videoclipe –, neste Boo (com Marcelo Camelo) revela participação do seu parceiro na Banda do Mar, e variação sonora dos seus Orelha Negra. Apesar de ser inteiramente composto, arranjado e tocado por ele.

Para quem não conhece, e para melhor procurar a sua identidade, basta voltar ao nosso texto de 2015. Aí finalizava-se com uma frase a remeter para “coisas vagas do amor”, ao qual o vídeo tentava dar palco visual. Ora, neste novo palco, é a atriz Joana de Verona a dar uma dualidade corporal e expressiva do imaginário romântico da música do Fred. Para o qual o realizador Rui Vieira encena e dá palco visual à projeção mental de quem duvida e ama. Com um simples truque que desorienta e cativa qualquer espetador.

Para quem não conhece, e para melhor conhecer o outro, há que revelar uma curiosidade constante, procurar esse espelho emocional, e saber que O Amor Encontra-te no Fim. Ou já em maio.

Texto escrito segundo o novo Acordo Ortográfico, a pedido do autor.

Sugerir correcção