Um grande peep show

Não me Toques é uma exibição que suga a humanidade das personagens e as filma de forma não muito distinta da que um documentário zoológico filmaria animais raros.

Foto

Há um momento em que uma das personagens de Não me Toques, um transexual, conta que, na sua vida de prostituição, só há uma coisa que nunca fez: trabalhar num peep show. Imediatamente a seguir, o filme de Adina Pintilie dá-lhe ocasião de encenar a satisfação dessa fantasia em falta, mas nem precisava de o fazer, porque a trabalhar num peep show já a personagem estava, um grande peep show é que Não me Toques é.

Sugerir correcção
Ler 2 comentários