O “sindicato bebé” que secou as bombas de gasolina do país

Greve levou portugueses a acorrerem aos postos de abastecimento. “Não há profissão que consiga parar o país como nós fizemos”, garante delegado sindical do SNMMP na região Norte.

Afluência levou ao encerramento de vários postos de gasolina
Foto
Afluência levou ao encerramento de vários postos de gasolina PAULO PIMENTA

O padrão repetiu-se, esta terça-feira, por todo o país: perante as notícias da greve do Sindicato Nacional de Motoristas de Matérias Perigosas (SNMMP), os portugueses procuraram assegurar que os depósitos dos seus veículos não ficavam vazios. A ida em massa aos postos de abastecimento provocou longas filas, chegando mesmo a obrigar ao encerramento de várias bombas de gasolina. Mas a pergunta fica no ar: quem são estes homens que viraram o país do avesso?