Sport TV rejeita críticas do Sp. Braga: “Nenhum gráfico pode influenciar decisões de arbitragem”

Minhotos tinham acusado estação televisiva de utilizar ângulo de câmara que daria a ideia de que Ricardo Horta estaria em posição irregular no golo invalidado aos “arsenalistas”. Duarte Gomes diz que, apesar de essas imagens estarem disponíveis, videoárbitro não as deve utilizar para tomar decisões.

,Primeira Liga
Foto
Videoárbitro anulou golo ao Sp. Braga frente ao FC Porto LUSA/JOSÉ COELHO

A Sport TV reagiu, na manhã desta quinta-feira, às críticas do Sp. Braga feitas após o jogo que ditou a eliminação da Taça de Portugal. Os minhotos acusaram a estação televisiva de “iludirem os espectadores” e “moldarem a opinião pública”. Por sua vez, a Sport TV garante, num esclarecimento enviado ao PÚBLICO, não fazer sentido “considerar que um qualquer elemento gráfico usado na transmissão possa influenciar as decisões de uma equipa de arbitragem”.

Duarte Gomes, ex-árbitro internacional, explica ao PÚBLICO que, de facto, o videoárbitro tem um ecrã onde é mostrada a transmissão televisiva, mas, para efeitos de decisão, esta não é utilizada: “As imagens da Sport TV, ou de qualquer outro operador, são disponibilizadas à Cidade do Futebol. Nessas imagens não existem linhas. No entanto, existe um ecrã com a transmissão com a linha que os espectadores vêem em casa. Teoricamente, não é para consulta, mas não sei do ponto de vista humano se não existe essa tentação”.

O Sp. Braga queixa-se de um lance ocorrido ao minuto 15 da partida de terça-feira. Felipe introduz a bola na própria baliza, naquele que seria o 1-0 para o Sp. Braga. O golo acabaria por ser invalidado pelo videoárbitro, por alegado fora-de-jogo de Ricardo Horta no início da jogada. Os bracarenses imputam à Sport TV parte da responsabilidade pela decisão errada do VAR, por ter colocado a linha de fora-de-jogo numa câmara em ângulo impróprio, afirmando que a estação televisiva teria possibilidade de esclarecer melhor o lance.

PÚBLICO -
Foto
Ângulo que os "arsenalistas" gostariam que tivesse sido mostrado DR

A estação garante que não ser feito “qualquer tratamento editorial” das imagens que chegam à Cidade do Futebol, onde se encontra instalado ao videoárbitro. “A Sport TV utiliza nas suas transmissões as ferramentas gráficas mais desenvolvidas que existem, com o único objectivo de permitir aos seus subscritores o melhor entendimento do jogo. Ainda que as dinâmicas de realização de uma transmissão em directo possam limitar o uso destas ferramentas, considera a Sport TV que na larga maioria dos casos estas ajudam a clarificar situações de jogo”, pode ler-se no esclarecimento.

PÚBLICO -
Foto
Imagem (com linha) transmitida pela Sport TV DR

Duarte Gomes revela que a linha fornecida pelo operador não é credenciada pela Federação Portuguesa de Futebol, o que impossibilita que o videoárbitro utilize as imagens televisivas para sinalizar uma eventual posição irregular dos jogadores. “Há estádios onde traçar essas linhas se torna muito difícil e, enquanto a FPF não conseguir garantir um sistema fidedigno para todos, não existirão [linhas para o videoárbitro]”.

Para além da Sport TV, os “arsenalistas” também apontaram baterias para a arbitragem. António Salvador, dirigente dos bracarenses, levantou a suspeita de existirem “criminosos infiltrados” no futebol e na arbitragem. Fontelas Gomes, presidente do Conselho de Arbitragem (CA) não gostou das palavras e apresentou uma participação ao conselho de disciplina do mesmo órgão federativo, desafiando António Salvador a mostrar indícios e provas de crimes.

Salvador, por sua vez, prometeu que iria encaminhar uma exposição à federação, acompanhada de um vídeo sobre factos que, segundo o presidente do clube, têm “afectado o rendimento do Sp. Braga e do Sp. Braga B” ao longo da presente temporada.