Queiroz apresentado na Colômbia: “A qualificação sul-americana é meio Mundial”

Sucede a José Pekerman e tem contrato até 2022. O técnico é o primeiro português a treinar uma selecção sul-americana.

Foto
Carlos Queiroz à chegada à Colômbia Reuters/CARLOS JULIO MARTINEZ

Carlos Queiroz irá ter muito tempo para aprender, mas as suas primeiras palavras na apresentação como novo seleccionador da Colômbia foram para pedir desculpa. “Boa tarde, queria pedir a vossa compreensão porque o meu espanhol não vai sair bem. O sotaque é bom mas o espanhol é mau”, começou por dizer Queiroz, que sucede no cargo ao argentino José Pekerman e que será o primeiro treinador português a treinar uma selecção da América do Sul. Será a quinta selecção no seu currículo, depois de Portugal, Emirados Árabes Unidos, África do Sul e Irão, e a primeira experiência sul-americana em 35 anos de carreira.

O contrato até 2022 significa que Queiroz irá estar no comando dos “cafeteros” até ao próximo Mundial, mas o técnico português considera que terá pela frente uma qualificação mais difícil do que as que já experimentou na Europa, na Ásia e em África. “A mais difícil é a sul-americana. Ganhar a qualificação da América do Sul é ganhar meio campeonato do mundo”, declarou Queiroz, que já esteve em três Mundiais, um com a selecção portuguesa (2010) e dois com o Irão (2014 e 2018).

Queiroz salta directamente do Irão para a Colômbia, uma selecção com outra projecção no futebol internacional (12.º no ranking da FIFA) e, por isso, com outras ambições, tanto no Mundial (onde já chegou aos “quartos” em 2014), como na Copa América. Já com o casaco de fato de treino da Colômbia vestido e “pronto para entrar em jogo”, Queiroz disse que não basta ter ambição e usou como exemplo a selecção portuguesa de sub-20 de 1989 que viria a ser campeã. “Pensavam que eu estava louco em 1989. Disse ao João Pinto, ao Fernando Couto e aos jogadores dessa equipa: se queres melhorar e ser campeão, é preciso ser campeão todos os dias, ter um plano de campeão. Mesmo quando tens, é muito difícil ser campeão. Temos de nos sentir campeões todos os dias”, alertou o técnico português.

A Copa América do próximo Verão, no Brasil, será a primeira prova da Colômbia de Carlos Queiroz, com Argentina, Paraguai e Qatar como adversários na fase de grupos, e os jornalistas colombianos fizeram-lhe muitas perguntas sobre como será o seu trabalho e a sua relação com os jogadores e se vai estar atento aos jogadores que estão na Colômbia. Queiroz não revelou muitos pormenores, garantindo que irá respeitar o legado de Pekerman e trabalhar para fazer melhor, mas deixou mais explicações para outra altura: “O mais importante não é ter já as respostas, mas fazer as perguntas certas para podermos sonhar em sermos campeões.”