Opinião

O vinho e o chá

Quando uma pessoa quer saber de nós é boa educação querer saber dessa pessoa. Se os chineses se interessam por nós seria boa altura de nós nos interessarmos por eles.

Os vinhos mais famosos do mundo são caríssimos e, mesmo assim, são difíceis de encontrar. Para justificar estes preços culpam-se os chineses. Noutros casos - como o do cognac - a indústria queixa-se de preços excessivamente baixos. E os culpados? São os chineses por já não beberem tanto cognac como no passado.

Culpar os chineses é um antigo passatempo ocidental. Para vender vinhos europeus à China foi preciso esquecer o vocabulário usado para descrevê-los e aprender a maneira chinesa de descrever vinhos. Em vez de culpar os chineses porque é que não aprendemos com eles? Se eles se interessam pelas nossas coisas a reacção estúpida é ficar alarmado e a reacção inteligente é fazer como eles e interessarmo-nos pelas coisas deles.

Vou só dar um exemplo: o chá. Nem uma vida inteira bastaria para conhecer os chás que se produzem na China. Mas quantas pessoas conhecem mais de três qualidades de chá do Yunnan? Há centenas só dessa região.

Quando uma pessoa quer saber de nós é boa educação querer saber dessa pessoa. Se os chineses se interessam por nós seria boa altura de nós nos interessarmos por eles. Reduzir a China à política é uma cegueira. A civilização chinesa é grande demais para conhecer sem ser por alto mas é pior fingir que não existe só para preservar a nossa ignorância. Pior ainda é só querer conhecer aquilo que a China escolheu censurar. Isso é apenas um reflexo narcísico: sermos especialistas naquilo que nós permitimos e eles não.

Enfim: nós somos infantis, eles são adultos.