A primeira derrota esteve à vista, mas Ronaldo e Cancelo evitaram-na

Dois golos portugueses concretizaram a reviravolta da Juventus na visita à Lazio, permitindo ampliar a vantagem na classificação. Tottenham afastado nos oitavos-de-final da Taça de Inglaterra

Cancelo foi protagonista
Foto
Cancelo foi protagonista LUSA/CLAUDIO PERI

Durante mais de uma hora a Juventus fez uma exibição pobre, descolorida, e que deixava a equipa de Massimiliano Allegri muito perto de sofrer a primeira derrota da época na Liga italiana. A Juventus era presa fácil da Lazio, que sujeitava os “bianconeri” a uma pressão asfixiante. Mas na recta final da partida os campeões italianos despertaram, deram a volta ao marcador, e venceram em Roma (1-2) – com os portugueses João Cancelo e Cristiano Ronaldo, com um golo cada, a vestirem a pele de heróis.

A Lazio foi tudo menos um adversário simples de ultrapassar para Juventus. Os romanos dominaram grande parte do encontro, deram imenso trabalho ao guarda-redes Szczesny, e só por falta de eficácia não alcançaram um resultado volumoso. Pagaram caro: a Juventus deu a volta aos acontecimentos, com a entrada de João Cancelo a ser decisiva. O português marcou o primeiro e sofreu o penálti que permitiu a Cristiano Ronaldo fazer o segundo. Foi o 19.º triunfo em 21 jornadas da Liga italiana, o que permite aproveitar o empate do Nápoles em Milão para ampliar para 11 pontos a vantagem na classificação.

Mas o herói da Juventus em Roma começou por ser Szczesny. O guarda-redes polaco contrariou os remates de Wallace, Correa, Luis Alberto e Parolo no primeiro tempo, e quando, aos 43’, viu Immobile fazer a bola passar-lhe por cima, valeu o corte de Rugani, a evitar que ela entrasse na baliza. No mesmo período, a Juventus chegou apenas uma vez com (muito relativo) perigo à baliza da Lazio. Douglas Costa na esquerda cruzou para a área e o guarda-redes afastou com os punhos.

O segundo tempo continuou com superioridade da equipa de Simone Inzaghi e o golo surgiu aos 59’: na sequência de canto, Emre Can introduziu a bola na própria baliza. Immobile, pouco depois, surgiu em excelente posição mas falhou o segundo, e Luis Alberto, com um grande remate de fora da área, fez a bola passar muito perto.

O rumo da partida começou a alterar-se aos 70’, quando Allegri esgotou as substituições para lançar João Cancelo na partida. A alteração não demorou muito a surtir efeito: aos 74’, após jogada rápida de Bernardeschi pela esquerda, Dybala desferiu um primeiro remate que Strakosha defendeu, mas na recarga o português não desperdiçou – era apenas o segundo remate da Juventus enquadrado com a baliza adversária (o primeiro foi o de Dybala).

Foi um duro golpe para uma Lazio que já estava em quebra física. Para a Juventus, pelo contrário, foi uma motivação extra: e aos 88’ ficava completa a reviravolta no marcador. Cancelo foi derrubado na área por Lulic, e Cristiano Ronaldo no penálti correspondente não perdoou.

Outro português esteve em evidência na Liga espanhola: Nélson Semedo lançou o Barcelona para a oitava vitória consecutiva no campeonato, com o golo que deu vantagem aos “blaugrana” na visita ao Girona. Lionel Messi, na segunda parte, fechou o resultado com um “chapéu” ao guarda-redes. O Real Madrid foi ao terreno do Espanyol vencer por 2-4, com golos de Karim Benzema (2), Sergio Ramos e Gareth Bale. Já o Celta de Vigo de Miguel Cardoso sofreu a quinta derrota consecutiva e ficou mais perto dos lugares de despromoção.

Na Taça de Inglaterra, um Tottenham repleto de jogadores menos utilizados foi eliminado nos oitavos-de-final pelo Crystal Palace (2-0). Já o Chelsea, com o reforço Higuaín a estrear-se no “onze”, recebeu e venceu o Sheffield Wednesday com golos de Willian (2) e Callum Hudson-Odoi.

Na Alemanha, após ter visto na véspera o líder Borussia Dortmund golear (5-1 ao Hanôver), o Bayern Munique respondeu com um triunfo confortável perante o Estugarda (4-1), que permitiu aos bávaros repor em seis pontos a desvantagem para o topo da Bundesliga. Renato Sanches foi suplente não utilizado.