PS vai abster-se na cannabis porque o tema merece ser discutido mas...

Socialistas dizem que há aspectos sensíveis pouco salvaguardados como o controlo do consumo, as consequências para os mais jovens, a proliferação de psicoses.

Foto
Diogo Baptista

O PS deu indicação de abstenção mas os deputados socialistas vão ter liberdade de voto para se pronunciarem sobre as propostas de legalização da cannabis para uso recreativo do Bloco e do PAN que são discutidas no Parlamento nesta quinta-feira à tarde.

Tendo em conta que à esquerda o PCP é contra e que à direita se contará também com o voto contra do CDS e do PSD, as duas propostas arriscam o chumbo se o Bloco e o PAN resolverem levá-las a votos na sexta-feira. E o Bloco tenciona mesmo levar o seu diploma à votação, apurou o PÚBLICO.

Apesar de o PS considerar que a legalização para fins recreativos é "uma evolução talvez natural", a deputada Jamila Madeira diz que há "cautelas e princípios de precaução" que não estão "absolutamente salvaguardados". É preciso "avaliar alguns dos pontos críticos no controlo do consumo, na forma como afecta os mais jovens, na proliferação de psicoses", afirma a deputada.

Estes são "pontos delicados e sensíveis", pelo que Portugal deveria "esperar a avaliação" das experiências noutros países "antes de avançar em definitivo".

"É um caminho que temos que trilhar mas teríamos a ganhar se tivéssemos já essas experiências com um pouco de avaliação e prática do terreno mais enraizada."