Se a tradição se mantiver o FC Porto será campeão

"Dragões" nunca deixaram escapar um título no século XXI quando encerraram a primeira volta do campeonato na liderança. E nenhuma equipa falhou o objectivo final com cinco ou mais pontos de vantagem.

Sérgio Conceição tem a tradição do seu lado
Foto
Sérgio Conceição tem a tradição do seu lado LUSA/TIAGO PETINGA

Se a tradição se mantiver no campeonato português, o FC Porto pode começar a encomendar as faixas de campeão. No século XXI, sempre que os “dragões” terminaram a primeira volta no comando foram campeões. E apenas por quatro ocasiões o líder de Inverno falhou o objectivo, mas nunca tendo uma vantagem superior a quatro pontos.

A excepção mais sonante desta regra, foi o Sporting. Na temporada de 2015-16, a segunda de Jorge Jesus em Alvalade, os “leões” terminaram as primeiras 17 jornadas com quatro pontos de vantagem sobre Benfica e FC Porto, mas acabaram por deixar escapar o título para o rival da Luz.

PÚBLICO -
Aumentar

O mesmo Jorge Jesus protagonizou também outros dois desvios da rotina contabilística, mas ao serviço do Benfica. A meio da temporada de 2011-12 - no caso, a 15.ª ronda -, a equipa lisboeta liderava com mais dois pontos do que o FC Porto, mas acabou por ser ultrapassado pela velocidade supersónica do “dragão” na segunda fase da prova. Os portuenses iriam erguer o título com seis pontos de vantagem sobre os lisboetas.

Um ano depois (2012-13), a história iria repetir-se, ainda que com algumas diferenças. A primeira fase do campeonato terminou com os “encarnados” em igualdade pontual com os portistas, mas com vantagem nos golos marcados e sofridos. No final voltaram a sorrir os portistas.

Caso idêntico ocorreu com o Sporting na já remota época de 2004-05, quando chegou ao intervalo da competição na liderança, mas também em igualdade pontual com FC Porto e Benfica. O título acabou por ser entregue a este último, num dos campeonatos mais disputados do século. A meio da prova, os cinco primeiros classificados estavam separados por apenas um ponto.

Nas restantes 14 temporadas, o cenário nunca mudou. O FC Porto terminou a primeira volta na liderança por oito ocasiões e confirmou sempre o título. Já o Benfica, dobrou a prova na primeira posição seis vezes, sendo campeão quatro.

Os “leões” têm o registo mais pobre. Foram líderes de Inverno apenas três vezes, mas só numa ocasião foi motivo de festa nas contas finais. Foi em 2001-02, a temporada do último título.

O FC Porto foi também a equipa que encerrou a primeira fase da Liga com maiores vantagens pontuais neste século. Em 2002-03 (com José Mourinho no comando técnico) e 2007-08 (Jesualdo Ferreira) tinha nove pontos de vantagem sobre o segundo classificado. Em 2010-11 (André Villas-Boas) eram oito e sete em 2006-07 (Jesualdo Ferreira).

Sérgio Conceição tem agora uma pesada herança de sucessos para gerir até ao final do campeonato e acima de tudo evitar um eventual descalabro na segunda metade que redundasse num desfecho inédito para os “dragões”.

O calendário também ajuda, com o FC Porto a jogar em casa com o Benfica e Sporting na segunda volta. As deslocações mais complicadas serão aos terrenos do Sp. Braga e Vitória de Guimarães.

Bem mais negro apresenta-se o quadro do Benfica. Os vice-campeões nacionais irão jogar fora na segunda volta com o Vitória de Guimarães, Sporting, FC Porto e Sp. Braga.

Menos complicado é o panorama do Sporting, que irá receber Benfica, Sp. Braga e V. Guimarães, encerrando a época no Dragão. Um cenário quase idêntico ao dos bracarenses, que irão acolher as partidas frente aos vitorianos, FC Porto e Benfica, mas antes terão uma complicada deslocação a Alvalade.

Nada está ainda decidido nesta temporada de 2018-19, mas a tradição não permite grandes ilusões aos adversários do campeão nacional.