Devem os jogos de futebol ser mais cedo?

O presidente do Sporting de Braga, António Salvador, pede uma reflexão sobre os horários dos encontros com transmissão televisiva, pouco familiares e que resultam em estádios vazios.

Este domingo, o encontro entre o Desportivo Estrela e o Belenenses encheu as bancadas
Foto
Este domingo, o encontro entre o Desportivo Estrela e o Belenenses encheu as bancadas Nuno Ferreira Monteiro

O presidente do Sporting de Braga, António Salvador, disse nesta segunda-feira que é necessária uma "reflexão total no futebol português" sobre os horários dos jogos com transmissão televisiva, que "não defendem o espectáculo".

"É preciso uma reflexão total no futebol português e perceber o que fazem os ingleses, os alemães, franceses e espanhóis, a que horas dão os jogos e como têm os estádios cheios", observou António Salvador, após o jogo com o Boavista (vitória por 1-0), da 16.ª jornada da I Liga.

Confrontado com as críticas recentes dos adeptos bracarenses aos últimos horários das partidas do Sporting de Braga, o líder "arsenalista" considerou justas essas reivindicações.

"Somos o campeonato na Europa com mais jogos à noite, horários que não defendem o espectáculo para os adeptos, os mais jovens e as famílias poderem vir ao futebol. Com estes horários, a Liga não está a defender o espectáculo", lamentou.

António Salvador disse que o Sporting de Braga já fez ver à Liga de clubes "que tem de arranjar soluções com os operadores de televisão" "Não é ao domingo à noite, quando as pessoas têm que trabalhar no dia seguinte, que podem vir ao estádio", denunciou.